Um dia antes de latrocínio na Asa Norte, vizinhos denunciaram suspeitos

Em um áudio, uma pessoa se queixa da presença de dois suspeitos armados na mesma quadra em que morava a servidora do MinC Maria Vanessa Veiga

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/08/2017 13:31 / atualizado em 09/08/2017 14:33

Minervino Júnior/CB/D.A Press
 

Em uma troca de mensagens em um grupo de WhatsApp, na segunda-feira (7/8), uma pessoa que trabalha na 408 Norte se queixou de sofrer uma tentativa de roubo na quadra. O endereço é o mesmo em que a servidora do Ministério da Cultura (MinC) Maria Vanessa Veiga Esteves, 55 anos, foi assassinada durante um assalto às 23h dessa terça-feira (8). Na conversa, ele reclama de uma dupla armada com uma faca e conta que pediu ajuda da Polícia Militar, mas que o PM que o atendeu impôs dificuldades e questionou a necessidade de mandar um carro, caso os criminosos não estivesse mais lá.



Leia mais notícias em Cidades

No fim do bate-papo, ele ainda se queixa. “Eles não querem mandar. Só se realmente assaltar, matar alguém.” A vítima descreve a dupla e afirma que um deles usava roupa preta e o outro, um casaco vermelho, e que estavam com uma mochila e armados com uma faca. “Os caras não vão embora. Pelo jeito, eles querem, eu acho que fui o primeiro que eles tentaram assaltar. Eles não conseguiram. Eles vão ficar aí, viu? Cuidado, gente, e avisem para os clientes”, alerta.

 

Correio entrou em contato com a PM sobre o policiamento na região e sobre a denúncia e aguarda retorno da corporação.

 

O crime

 

Maria Vanessa foi assassinada a facadas após ser roubada na quadra onde morava há dois anos. Dois homens não identificados a abordaram e levaram a bolsa e o celular da vítima. O caso é investigado por agentes da 2ª Delegacia de Polícia (Asa Norte) como latrocínio (roubo com morte).

De acordo com as informações da ocorrência registrada na 5ª DP (Área Central), Maria Vanessa Veiga estacionava o carro ao chegar ao prédio quando dois homens se aproximaram e tentaram roubar a bolsa dela. Enquanto um segurava a vítima, outro a esfaqueou pelas costas. Após o crime, os dois fugiram. Maria Vanessa morreu antes mesmo de o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) chegar ao local para o socorro.

 

 

Confira, na íntegra, a transcrição das mensagens de voz:
“Eu até liguei para a polícia, amigo, mas a polícia falou pra mim assim, é pra mandar gente aqui (sic)? Eu falei: ‘é lógico policial’. 'Mas mandar a viatura por quê? O pessoal ainda está aí? Não está aí?' Começou a enrolar e enrolar. 'Eu falei que o negócio é o seguinte, eu vou ver se tem uma viatura na rua'. Mas eles não quiseram mandar. Estão escondidos nos blocos. São dois caras com cara muito de mala. Cuidado, gente. E a polícia, infelizmente, não quis mandar ninguém aqui.

Avisem para os seus clientes que cuidado que eles estão no bloco do lado do meu bloco, o ‘E’, viu? Se algum cliente tiver estacionado o carro ali, fala para tomarem muito cuidado, que o pessoal ainda está ali.

F., um deles estava de mochila, com boné, e um de camiseta preta. Estavam muito sujos, cara de bandido, realmente, de chinelo também. O que estava com a faca estava de bermuda, de camiseta preta e calça preta. Esse com a faca estava com boné e uma jaqueta vermelha, muito, mas muito sujo mesmo, viu?

Olha, gente. Como eu falei, eu tentei ligar para a polícia. Mas o cara perguntou se era para mandar uma viatura. Eu falei que era. Aí ele perguntou onde. 'Taguatinga?' Eu disse que não, que era 408 Norte. Aí perguntaram se eles ainda estavam aqui. E ficou enrolando. É *. Eles não querem mandar. Só se realmente assaltar, matar alguém.

Os caras não vão embora. Pelo jeito eles querem, eu acho que fui o primeiro que eles tentaram assaltar, eles não conseguiram. Eles vão ficar aí, viu? Cuidado, gente, e avisem para os clientes.”

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Luiz
Luiz - 11 de Agosto às 06:49
E revoltante ver como a bandidagem impera nas nossas cidades, sem que a sociedade possa ao menos se defender, ficando totalmente vulnerável e ameaçada. Só quero saber o que vai acontecer agora com esses dois assassinos. E, covardes, assassinaram uma senhora completamente indefesa e por pura maldade. Seres imprestáveis, miseráveis. Não pode haver condescendência com esses seres do mal.
 
Heraclio
Heraclio - 10 de Agosto às 12:30
Já passou da hora de rever o Estatuto da Criança e do Adolescente. Maioridade penal de 14 anos JÁ!!!!
 
Fabio
Fabio - 10 de Agosto às 09:29
triste
 
Herculano
Herculano - 10 de Agosto às 08:49
E aqueles Corolla 2017 que estão parados nas ruas com uns soldados desfilando?? São apenas para cegos verem?
 
Carlos
Carlos - 09 de Agosto às 20:22
Essa é a segurança pública construída com bons salários e concursos públicos?? E a saúde e educação?? Tá na hora de mudar tudo...
 
Sérgio
Sérgio - 09 de Agosto às 20:00
É assim mesmo minha gente. E vai piorar! A PMDF está com efetivo baixíssimo, os policiais militares estão em sobre carga máxima. Aliás, PMs que também pagam impostos e se duvidar muito mais alto do que muito hipócrita que vive dizendo que paga os salários dos PMs, ou seja, o PM está pagando imposto pra pagar o próprio salário. Solução? está óbvio! atualmente a PMDF conta com pouco mais de 10 mil PMs para atender todo o DF e se duvidar, inclusive o entorno. O efetivo era pra contar com quase 19 mil PMs. O déficit está beirando a absurdos 8 mil PMs. Pra completar toda bagunça, Rollemberg havia anunciado míseras 2 mil vagas através de concurso, o que segundo ele, não será feito porque não tem dinheiro. Ou seja? é cada um por si e Deus por todos. Boa sorte!
 
RR
RR - 09 de Agosto às 19:39
E aí, rolemberg, não vai falar nada, não? Será que só aparece para tirar fotos e fazer filmetes em cerimônia de entrega de viaturas, que só ficam paradas em gramados para parecer que tem polícia?
 
André
André - 09 de Agosto às 19:07
A PM do DF não quer trabalhar. Simples assim. Querem receber salários pra ficar dentro dos quartéis servindo a si mesmos.
 
Katia
Katia - 09 de Agosto às 18:22
Enquanto uma inocente morre o " des - governador" faz show de entrega de viaturas caríssimas. Deus tenha misericórdia do povo!
 
Paulo
Paulo - 09 de Agosto às 17:01
Fica sempre muito claro que a complacência com a qual estão sendo tratados os meliantes não tem sido suficiente para combater o crime. Qual o objetivo da pena imposta aos criminosos? Combater o crime? Está sendo eficaz? A sociedade precisa pensar sobre isso e endurecer sua pressão contra o crime, principalmente esses que revelam extrema crueldade como este.
 
Jean
Jean - 09 de Agosto às 23:55
Perfeito. Hora de acabar com essa conversa de penas alternativas. A alternativa é trancafiar esses vermes até apodrecerem. Daí, quero ver os "reincidentes" aparecerem.
 
José
José - 09 de Agosto às 16:30
Se essa polícia negligente tivesse atendido ao clamor de um cidadão que paga os salários desses policiais, através de nossos impostos, com certeza a Senhora Maria Vanessa Veiga estaria viva.
 
Eduardo
Eduardo - 09 de Agosto às 16:25
A PM do DF é muito fraca! Já passei por isso também quando liguei e denunciei o tráfico de drogas e pessoas armadas na quadra em que eu morava, entretanto, nenhuma viatura apareceu. Eu tenho a impressão que são policiais não pela vocação ou pelo gosto de defender as pessoas, mas sim pelo salário que recebem. São despreparados, desinteressados e sem proatividade alguma. Acorda PMDF!!!
 
Miguel
Miguel - 09 de Agosto às 16:23
Maravilha... esse é o resultado do desmanche da segurança pública por parte dos últimos des-governos, em especial o péssimo governo Rollemberg.