Deputado Federal Rôney Nemer é assaltado no Guará 2

Ele saía da casa do pai, por volta das 5h30, para ir à fisioterapia quando foi abordado por um homem de estatura baixa em uma moto. O suspeito simulou estar armado e exigiu que o parlamentar entregasse dois celulares

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 09/08/2017 22:51 / atualizado em 09/08/2017 23:23

Arthur Menescal/Esp. CB/D.A Press
O deputado federal Rôney Nemer (PP-DF) foi assaltado no Guará 2 na manhã desta quarta-feira (9/8). Ele saia da casa do pai, por volta das 5h30, para ir à fisioterapia quando foi abordado por um  homem de estatura baixa em uma moto. O  suspeito exigiu dinheiro do parlamentar, mas como ele não tinha, pediu que entregasse os dois celulares. Não houve violência.  
 
 
Nemer afirma que, no início da ação, não havia entendido que era um assalto. Ele não conseguiu ver se o homem estava armado, mas o suspeito estava com as mãos para trás e o parlamentar preferiu não resistir. “Meu primeiro pensamento foi de reagir. Mas eu me lembrei de todas as recomendações de como agir em um momento como esse e optei por não correr o risco”, alega. O deputado diz que a situação traz um sensação de abandono. “Não tinha nada que eu pudesse fazer no momento. Costumo ir ao Rio e andar com frequência nas comunidades e nunca me aconteceu nada. Em 37 anos que moro em Brasília, foi a primeira vez que isso aconteceu”, lamentou. 

Rôney Nemer havia dormido na casa do pai, que morreu há duas semanas. Ele e familiares fazem uma reforma no imóvel e se revezam para cuidar do local. Rôney registrou a ocorrência do crime na 4ª Delegacia de Polícia (Guará 2).
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
percio
percio - 13 de Agosto às 12:43
Ladrao que rouba ladra tem cem anos de perdão hehehe
 
Carmelita
Carmelita - 11 de Agosto às 08:43
Brasília sem rumo, sem segurança, sem serviços públicos de qualidade. Brasília caótica, hospitais e postos de saúde sem médicos e enfermeiros para atendimento . Pessoas sendo esfaqueadas próximo às suas residências, outras sendo esfaquadas no próprio trabalho (aquele cobrador de Ceilândia). Brasília está abandonada, sem governo, sem autoridade. Enquanto o povo votar em ladrão para a CLDF, GDF, Senado e Câmara, continuaremos assim, sendo assaltados e esfaqueados pertinho de nossa casa, indo ao trabalho, indo à padaria... E sim, que esses menores esfaqueadores façam o mesmo com todos os nossos políticos.
 
marcos
marcos - 10 de Agosto às 14:27
Pois é, para ser justo, eu gostaria que mais políticos passassem por isto ...
 
Marcio
Marcio - 10 de Agosto às 08:55
Brasília sem rumo. Sem líderes.
 
welisson
welisson - 10 de Agosto às 08:35
Isso não foi um assalto... Foram trocas de EXPERIÊNCIAS... !!!
 
JOSIAS
JOSIAS - 11 de Agosto às 08:21
Ladrão que rouba ladrão.....
 
Valtuir
Valtuir - 10 de Agosto às 08:34
Se estivesse trabalhando não seria assaltado......