Julgamento de porteiro réu no caso da 113 Sul é adiado para setembro

Segundo o TJDFT, o adiamento foi pedido pelo desembargador relator do caso, Romão Oliveira

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/08/2017 13:17 / atualizado em 17/08/2017 13:51

 

O Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) adiou o julgamento do recurso apresentado pela defesa de Paulo Henrique Cardoso, acusado de participar do assassinato na casa da família Villela, que estava marcado para esta quinta-feira (17/8).

 

Leia mais notícias em Cidades

 

De acordo com o tribunal, o desembargador relator do caso, Romão Oliveira, pediu adiamento por estar de férias fora de Brasília. A decisão pegou de surpresa o advogado Pedro Calmon, que trabalha como assistente de acusação ao lado do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPPDFT) e mais cedo havia confirmado a realização do julgamento ao Correio. Segundo Calmon, o julgamento deve ocorrer em 14 de setembro.

 

Condenado em primeira instância

 

Paulo Henrique Cardoso é um dos acusados de matar o ex-ministro do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) José Guilherme Villela, da esposa dele, Maria Villela, e de uma funcionária da casa, Francisca Nascimento Silva. Ele era porteiro no prédio onde morava o casal. O crime ocorreu em 28 de agosto de 2009. O réu recebeu como pena 62 anos e um mês de reclusão em 6 de dezembro de 2016 em primeira instância. A defesa dele recorreu, e o caso está agora na 1ª Vara Criminal do TJDFT.  

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.