Devido à baixa umidade, Defesa Civil declara estado de emergência no DF

Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) publicou, nesta quarta-feira, que o Distrito Federal está em área de grande perigo devido às baixas taxas de umidade. Pelo segundo dia consecutivo, as taxas mínimas estão abaixo de 12%

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 30/08/2017 15:12 / atualizado em 30/08/2017 17:47

Carlos Silva/CB/D.A Press

 

Depois de o Instituto Nacional de Metereologia (Inmet) publicar, nesta quarta-feira, que o Distrito Federal está em área de grande perigo devido às baixas taxas de umidade, a Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil declarou estado de emergência. Pelo segundo dia consecutivo, as taxas mínimas estão abaixo de 12%.

 

Leia mais notícias em Cidades

 

No último registro de hoje, realizado às 15h, a estação climatológica de Águas Emendadas, em Planaltina, registrou 10% de umidade. Ontem (29/8), a estação do Gama registrou 9%, e o valor permaneceu baixo, na casa dos 10%. Segundo o Centro de Previsão do Tempo do Inmet, os valores de umidade podem variar em torno dos 15% ou abaixo disso até o fim da semana. A tendência é de que a situação só melhore após a segunda quinzena de setembro.

 

Recomendações à população 

 

A Defesa Civil recomenda que a população tome medidas preventivas durante o período alarmante, principalmente entre 10h e 17h. Prática de atividades físicas e trabalhos ao ar livre, por exemplo, devem ser suspensos. Nas escolas, a prática de ginástica não é aconselhada nem mesmo em espaços cobertos.

 

Além disso, é aconselhado aumentar a ingestão de líquidos, evitar banhos prolongados com água quente e umidificar o ambiente com vaporizadores ou toalhas molhadas. Pingar soro fisiológico nas narinas e usar a sombrinha são outras recomendações.

 

Veja abaixo a íntegra das medidas que a pasta divulgou:

 

I. Para as escolas recomendamos a suspensão da prática de atividades físicas, mesmo não sendo ao ar livre.


II. Aumentar a ingestão diária de líquidos (água, água de coco) independente de apresentar sede ou não (beber pelo menos 06 copos de água de tamanho médio); Evitar os banhos prolongados com água quente e o uso excessivo de sabonete, para não eliminar totalmente a oleosidade natural da pele;


III. Pingar duas gotas de soro fisiológico em cada narina, pelo menos 6 vezes ao dia. Este procedimento evita o ressecamento nasal, diminuindo a ocorrência de sangramento; Evitar o uso de aparelhos de ar-condicionado, pois eles retiram ainda mais a umidade do ambiente;


IV. Trajar roupas adequadas às condições do tempo. Usar roupas leves e claras, e se possível de algodão;

 

V. Fazer refeições leves, incluindo frutas e verduras sempre que possível; Suspender exercícios físicos e atividades que atinjam grande esforço no período das 10h às 17h, ao ar livre. Neste período, a insolação e evaporação atingem seus índices máximos; Usar protetor solar, creme hidratante ou óleo vegetal em abundância para evitar o ressecamento da pele;

 

VI. Optar pelo uso de sombrinha ou guarda-chuva no período mais quente; Sempre que possível permanecer em locais protegidos do sol em áreas com vegetação; Recomendar a suspensão de atividades que exijam aglomerações de pessoas em ambientes fechados, entre 10 e 17 horas;


VII. Usar umidificador, ou colocar toalhas molhadas e bacias com água nos quartos durante todo o dia. Isso ajuda a manter o ambiente úmido;

 

VIII. As crianças e os idosos são os que mais sofrem com a baixa umidade, pois as crianças estão com o organismo em formação, enquanto que os idosos são mais sensíveis a mudanças bruscas de ambiente. No entanto, o mal-estar causado pela baixa umidade pode ocorrer com pessoas de qualquer faixa etária.

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.