Concurso seleciona 10 propostas para disputar a identidade do DF

Os três finalistas participarão da última etapa: uma votação popular que ocorrerá de 20 de setembro a 30 de outubro

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/08/2017 06:00

Bárbara Cabral/Esp. CB/D.A Press
 
Pertencimento e identidade são algumas dos sentimentos que o concurso Marca Brasília, promovido pela Fecomércio-DF e pela Câmara de Turismo e Hospitalidade com apoio do Sebrae e do Correio Braziliense, pretende inspirar no brasiliense. A competição tem como objetivo escolher uma imagem que representará Brasília perante os brasilienses, o Brasil e o mundo. A ideia é usar a nova marca como identidade visual para incentivar a promoção da cidade e o fortalecimento do turismo.
 
 
“A intenção é iniciar uma campanha de valorização de Brasília e criar um sentimento de pertencimento. Brasília não tem uma identidade. A cada quatro anos, com a mudança de governo é feita uma nova marca e perdemos algo que represente a cidade. Esse é o início de um movimento”, analisa Claudia Maldonado Lopes, presidente da Associação de Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil, uma das realizadoras do Marca Brasília.

O concurso teve início em 18 de maio e seguiu até 18 de agosto com inscrições pela internet. Cada candidato deveria enviar sua marca sem se identificar. Ao todo, 940 inscrições foram feitas no site oficial do Marca Brasília. Destas, 515 propostas preencheram os pré-requisitos. “Ficamos surpresos com a quantidade de inscrições. Há cinco anos teve um concurso para escolher a Marca Brasil e tiveram 180 inscrições. Então, nós fomos além do esperado. Foi uma procura muito grande”, comenta Francisco Maia, presidente da Câmara de Turismo e Hospitalidade da Fecomércio-DF.

Avaliação das propostas

As mais de 500 imagens inscritas foram avaliadas na tarde de ontem por uma comissão técnica presente na sede da Fecomércio, no Setor Comercial Sul. O time de especialistas foi formado por: Wagner Rizzo, Amilton Coelho, Paulo Bertoni, Ézio de Castro, Bruno Porto, Toninho Euzébio, Carlos Grillo, Evandro Renato Perotto, Flavia Coelho, Matheus Braga Alves de Souza, José Badaró, Berta Krueger, Hilda Circutti, Casé de Souza, Tiago Frechiani, Luciano Crispiniano, Mauricio Passarinho, Cláudio Leite e Wesley Santos.

Ao longo da tarde, a comissão técnica conseguiu transformar o número de 515 inscritos para 17 propostas, até que o grupo finalizou o dia com os 10 semifinalistas, que, por enquanto, seguem em sigilo devido às exigências do edital do Marca Brasília. As 10 propostas escolhidas seguem para a próxima fase, quando serão avaliadas por uma comissão universitária. Composta por profissionais do Centro Universitário Estácio, Iesb, LS Educacional, UDF, UniCeub, UNIEURO, UniProjeção, Universidade Católica de Brasília, Unopar e UPIS, a equipe terá o período de 4 a 15 de setembro para analisar as identidades visuais e chegar ao número de três propostas.

Os três finalistas participarão da última etapa: uma votação popular que ocorrerá de 20 de setembro a 30 de outubro, a ser promovida no site www.marcabrasilia.com.br. “O concurso serve para criar uma identidade de pertencimento ao morador. Por isso tinha que ser um concurso. É a marca de uma sociedade. E a última etapa tinha que ser uma votação pública”, defende Francisco Maia. O resultado oficial será divulgado em 6 de novembro e, em 22 de novembro, haverá uma cerimônia de entrega da premiação. O vencedor do concurso ganhará um prêmio de R$ 20 mil e poderá ver sua marca nas promoções turísticas de Brasília.

Iniciativa internacional

O presidente da Câmara de Turismo e Hospitalidade da Fecomércio-DF, Francisco Maia, conta que o concurso Marca Brasília se inspirou em uma iniciativa semelhante que ocorreu nos Estados Unidos. De acordo com ele, a cidade de Nova York buscava uma ressignificação e promoveu um concurso para a criação de uma identidade visual que representasse a Big Apple.

“Eles pediram um trabalho para um grupo de empresas, mas não conseguiram chegar uma marca. Um dos membros da equipe técnica teve uma ideia e desenhou em um guardanapo e chegou à marca I love NYC”, explica. Maia ainda completa: “Essa marca passou a mudar a história de Nova York em relação ao comércio e turismo.”

O Peru também foi outro país que fez uma prática similar. O país da América do Sul buscava aumentar o número de turistas estrangeiros e desenvolveu uma marca nos últimos cinco anos.

Etapas do concurso Marca Brasília

» Inscrições: De 18 de maio a 18 de agosto
» Avaliação da comissão técnica: 30 de agosto
» Avaliação da comissão universitária: 4 a 15 de setembro
» Votação popular: 20 de setembro a 30 de outubro
» Resultado: 6 de novembro
» Premiação: 22 de novembro
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.