'Já passou da hora de rompermos com Rollemberg', defende Veras, do PDT

O partido decide na manhã deste domingo se mantém apoio ao governo de Rodrigo Rollemberg

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/09/2017 12:00 / atualizado em 17/09/2017 13:53

Na manhã deste domingo (17/09), ocorre a convenção local do Partido DemocráticoTrabalhista (PDT). Entre as pautas da reunião, o partido pretende deliberar se continua ou não apoiando o governo de Rodrigo Rollemberg (PSB).

O presidente da legenda no Distrito Federal, George Michel, abriu a convenção relembrando que o PDT foi o primeiro a se coligar com Rollemberg. Ele reconhece, no entanto, que o governo tem baixa aprovação em pesquisas: "Não é um governo que vai bem, e o PDT não pode afundar com ele".

Além disso, o tesoureiro do partido, Paulo Pinto, ex-ministro do Trabalho e Emprego admitiu o desejo de, em 2018, ter um governador do partido. Joe Valle provavelmente  disputará o cargo.

Segundo o deputado Reginaldo Veras (PDT), o governador não teria cumprido nem 30% de seu plano de governo. "E não foi falta dinheiro, mas falta de vontade. Já passou da hora de rompermos com ele", arrematou.

Discordâncias 


Já faz tempo que o PDT não está alinhado com o Executivo. Quando Joe Valle disputava a presidência da Câmara Legislativa, o governador apoiou o candidato do PR, Agaciel Maia, atual líder do governo. Além disso, o GDF exonerou, na última semana, 27 servidores comissionados do PDT. 

O PDT também não concorda com a reforma da previdência planejada pelo governador Rodrigo Rollemberg. O deputado Joe Valle (PDT) chegou a propor uma alternativa, que manteria separados os fundos de servidores antigos (DFPrev, onde há deficit) e dos trabalhadores mais recentes (Iprev, onde "sobra" dinheiro). O texto original, do Buriti, previa que essas contas fossem unidas e se compensassem.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.