Menina de 9 anos escreve livro sobre amiga com Down e emociona escola do DF

Milena Tavares, de 9 anos, se inspirou na amiga, Maria Eduarda, para contar uma história de inclusão de pessoas com deficiência

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/09/2017 18:36 / atualizado em 25/09/2017 09:39

Marcelo Ferreira/CB/D.A Press


Milena Tavares Barbosa tem apenas 9 anos, mas é dona de uma mente brilhante. Apesar da pouca idade, sobra talento e sensibilidade. Milena usou seus dons para escrever e emocionou pais, professores e alunos da Escola Classe 305 Sul nesta semana. A menina, que está no 4º ano do ensino fundamental, se inspirou na amiga, Maria Eduarda Rezende Cruz, 11, que nasceu com síndrome de Down, para escrever um livro e dar uma lição a muitos adultos sobre a inclusão de pessoas com deficiência.
 

Dedicada em sala de aula, Milena conta que a ideia de escrever surgiu enquanto era colega de turma de Maria Eduarda, no ano passado. "Eu percebia que às vezes a Duda não se entrosava muito com as pessoas da sala. Nem todos queriam dar o cuidado especial que ela precisa", diz a garota em um primeiro momento, mas logo se apressa para detalhar o que quer dizer quando fala em "cuidado especial". "É tratar ela bem, como uma pessoa normal. E dar a atenção que toda pessoa merece", ensina.



Um pouco disso foi retratado por Milena nas páginas do livro intitulado A menina que realizou seus sonhos. Ali, a pequena conta a história de Tati, uma menina com síndrome de Down que não saía de casa por causa do preconceito. Mas que consegue superar essa barreira, entrar na escola e acaba descobrindo a beleza de ser diferente. A história é encerrada com chave de ouro. A protagonista se torna modelo e ensina uma lição preciosa ao leitor: nenhum sonho é impossível de ser alcançado. 

Marcelo Ferreira/CB/D.A Press


Sentada ao lado da amiga, Maria Eduarda, a musa inspiradora dessa história, escuta com atenção tudo o que Milena fala. Quando chega a sua vez de dar as próprias impressões sobre o conto, ela é só elogios à colega. "Eu gostei por que a Milena é minha amiga. Ela é uma pessoa maravilhosa e a gente brinca juntas", conta Duda, que vez ou outra abraça Milena ao falar sobre a amizade das duas.

Na história, a personagem principal descobre que pode ser modelo, mas, na vida real, Duda quer outra coisa. "Quero ser cantora e doutora", revela. Sonho que o pai, o servidor público Eduardo Barbosa, de 40 anos, se esforça para ver a filha realizar. Desde pequena a menina se dedica a atividades de estimulação no contra-turno das aulas regulares na escola. Dança, capoeira e tênis são as favoritas dela. "Desde pequena ela é estimulada a participar de atividades para que tenha o melhor desenvolvimento possível", conta o Eduardo.
 

Dedicação familiar 

 
É possível ver o resultado da dedicação da família no desempenho de Maria Eduarda. Ela se expressa bem, se locomove com facilidade e já sabe ler. O pai de Duda também credita as conquistas da filha à escola. Ele conta que tirou a menina de um colégio particular e teve uma grata surpresa ao ver que Maria Eduarda foi bem acolhida na rede pública de ensino. "Antigamente ela estudava em um colégio particular e não tinha o mesmo tratamento que tem na escola pública. Sinto que os professores e as crianças têm mais empenho em conviver com a diversidade", comenta. "Eu vejo um futuro muito possível para a Duda, quero que ela termine o ensino médio, entre em uma faculdade, namore e trabalhe. Quero uma vida normal para ela", idealiza o pai. 

Já os planos de menina Milena podem ser realizados a curto prazo. Por enquanto, ela está focada em passar na seleção do Colégio Militar de Brasília (CMB). Dedicada, ela é uma das duas crianças enviadas neste semestre para o projeto que cuida de alunos com altas habilidades da Secretaria de Educação do Distrito Federal (SEDF). "A Milena é uma ótima aluna, tem um senso de responsabilidade muito grande e muita facilidade para escrever, por isso foi encaminhada para a turma de altas habilidades na área acadêmica", explica a diretora da Escola Classe 305 Sul, Ana Karina Monteiro Gomes, que trabalha há 23 anos no colégio. 

Marcelo Ferreira/CB/D.A Press


A partir do semestre que vem ela começa a frequentar aulas de português e literatura para aperfeiçoar a habilidade de escrever. A menina, que mora no Sol Nascente, estuda na escola modelo do Plano Piloto desde as séries iniciais. Ela mostra que não vai medir esforços para subir ainda mais degraus na educação. 

O lançamento oficial do livro deve ser feito pelo colégio onde a dupla estuda, em outubro, com direito à sessão de autógrafos e dedicatórias para os colegas. Para os pais da menina fica o sentimento mais gratificante do mundo. "A Milena é um doce de criança. Não tenho palavras para expressar o orgulho que sentimos dela", orgulha-se a mãe da menina, Lúcia Tavares da Silva, que também acompanha (e baba) de perto toda a evolução da prole. 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.