Secretaria de Saúde divulga dados de Aids no DF: 936 novos casos

Pasta destaca situação mais preocupante entre jovens e pessoas com mais de 55 anos. Cruzeiro, Taguatinga, Riacho Fundo e Águas Claras lideram o ranking de novas contaminações no ano passado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 27/11/2017 15:21 / atualizado em 27/11/2017 17:23

STUART PRICE/AFP
A Secretaria de Saúde divulgou, na tarde desta segunda-feira (27/11), um alerta sobre o vírus HIV. O destaque da situação epidemiológica da capital é para o jovenas 15 a 25 anos e pessoas com mais de 55 anos. Desde 2013, o DF registra mais de mil novos casos da doença por ano. Cruzeiro, Taguatinga, Riacho Fundo e Águas Claras lideram o ranking de novas contaminações. Ao todo, o DF notificou 936 novos casos de HIV/Aids em 2016.

Sérgio d'Ávila, da Gerência de Doenças Sexualmente Transmissíveis, anunciou os dados de 2016 e fez um comparativo com números desde 2011. “No ano passado, tivemos um crescimento da doença muito grande na faixa etária de 20 a 24 anos. Aumentou bastante os casos entre 50 e 59 anos. As faixas etárias iniciais e da terceira idade centralizam os novos casos”, destaca. Cerca de 13,6 mil pessoas vivem com HIV/ Aids no DF.
 
 
Apesar das novas contaminações, houve uma redução de mortes relacionadas ao HIV. “É importante a adesão do tratamento para termos esse resultado. Muitas pessoas que vivem com HIV na terceira idade requerem cuidados específicos de quem está se tratando a mais tempo. Os remédios e as estratégias evoluíram bastante, e isso é bom”, conclui.

Sérgio ponderou que o principal aliado do tratamento no DF é o diagnóstico precoce. A Secretaria de Saúde realiza, por mês, 23 mil testes rápidos. Somente na Rodoviária do Plano Piloto são feitos mil exames. “Fazemos o monitoramento das pessoas com HIV e Aids. Isso significa que acompanhamos os pacientes com o vírus antes de ter a doença. Esse é um dos meios de controlar o HIV. Cada vez mais estamos fazendo o diagnóstico precoce”, destaca.

Flávio Breves, coordenador de Diversidade da Secretaria de Estado de Trabalho, Desenvolvimento Social, Mulheres, Igualdade Racial e Direitos Humanos, anunciou que a semana terá diversas ações de conscientização para públicos considerados de risco. Mensalmente, o Executivo local distribui 1,4 milhão de preservativos. “Faremos palestras e ações em grupo para conscientizar as pessoas sobre a doença, os riscos de transmissão e tratamento”, resume.,
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.