Publicidade

Estado de Minas

Tenente-coronel suspeito de agredir a ex-mulher é exonerado

A medida foi publicada em uma edição extra do Diário Oficial do Distrito Federal nesta sexta-feira (26/1)


postado em 26/01/2018 23:20 / atualizado em 27/01/2018 12:46

Imagens de um circutio de segurança podem ajudar na solução do caso(foto: Reprodução)
Imagens de um circutio de segurança podem ajudar na solução do caso (foto: Reprodução)
 

Suspeito de agredir a ex-mulher, o tenente-coronel do Corpo de Bombeiros Claudio Lúcio de Araújo Goes foi exonerado pelo governador do Distrito Federal, Rodrigo Rollemberg (PSB). A decisão foi publicada em uma edição extra do Diário Oficial do DF na noite desta sexta-feira (26/1). 

Leia as últimas notícias de Brasília

Claudio, que era assessor de gabinete do Comando-Geral do Corpo de Bombeiros, é investigado pela 21ª Delegacia de Polícia (Taguatinga Sul) desde a denúncia de agressão formalizada pela ex-mulher. Segundo o depoimento da vítima, Ludmilla Lopes, na madrugada do último domingo (21/1), o suspeito a empurrou, ocasionando lesões “no cotovelo direito, ombro e pulso”. O episódio teria acontecido em um estabelecimento comercial de Águas Claras, um dia após a Justiça revogar medidas protetivas que restringiam a aproximação do oficial à ex-mulher, devido à outra suspeita de agressão, em 2016.

As imagens de um circuito de segurança próximo ao local onde teruan ocorrido as últimas agressões podem ajudar o esclarecimento dos fatos. O vídeo mostra um homem puxando uma mulher pelos braços e a jogando, brutalmente, ao chão.



Com base no caso do último dia 21, o Juizado de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher de Águas Claras determinou novas medidas protetivas, as quais determinam que o servidor do Corpo de Bombeiros mantenha distância mínima de 200 metros da vítima.

Na última quarta-feira (24/1), o tenente-coronel afirmou ao Correio que as acusações de Ludmilla são falsas. Ele acrescentou que a ex-mulher “apresentou uma versão distorcida da realidade”. Ele também declarou que a palavra da ex-mulher não pode ser levada em consideração, por conta de uma série de falsos testemunhos no passado.


 

 

 

 

 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade