Publicidade

Estado de Minas

Gigantes do rádio, Planalto e Tupi estão agora juntas no Distrito Federal

Com a junção das emissoras do Diários Associados, o público brasiliense passou a ter uma programação ainda mais diversificada na frequência 890 AM


postado em 03/02/2018 08:00

 Arthur Luis Cardoso destaca que a mudança teve grande receptividade graças à programação variada(foto: Ludi Lago/Divulgação )
Arthur Luis Cardoso destaca que a mudança teve grande receptividade graças à programação variada (foto: Ludi Lago/Divulgação )


Duas gigantes do rádio agora estão juntas. De um lado, a Rádio Planalto, emissora de 54 anos, cuja história se mistura com à da capital; de outro, a carioca Tupi, de 82 anos, responsável por alguns dos momentos mais marcantes da memória do rádio brasileiro.

Com a junção das emissoras do Diários Associados, desde o início de fevereiro, o público brasiliense passou a ter uma programação ainda mais diversificada na frequência 890 AM, com a chegada da programação da Tupi, mas ainda com horários reservados ao conteúdo local.

“Agora, temos todo o conteúdo da Tupi, com informação, notícias esportivas, grandes comunicadores, mas também com a programação local, a cara da Planalto, falando do Distrito Federal, fazendo promoções e mantendo o contato com o público”, ressalta Arthur Luis Cardoso, gerente das rádios do grupo Diários Associados em Brasília.

Potência no esporte, a rádio carioca tem tudo para agradar ao público brasiliense fanático, por exemplo, pelo futebol. “A Tupi é a melhor rádio na cobertura de esportes e do futebol. Brasília tem muito interesse pelo campeonato carioca, por exemplo, que é um dos eventos transmitidos pela rádio”,  comenta Arthur.

Leia as últimas notícias do Distrito Federal


Mudanças


A programação da Tupi será retransmitida 24 horas por dia, com exceção das faixas reservadas à programação local, como a cara da Planalto. De segunda a sexta-feira, a voz dos comunicadores do Distrito Federal pode ser ouvida das 11h às 15h, e, no sábado, das 9h às 15h.

Os programas Ricardo Noronha, Estação Brasília (com Marinha Frampton), A tarde é nossa (com Juarez Vieira) e Skindô Brasil (com Roberto Cavalcanti) são alguns exemplos de atrações da Planalto que serão mantidas na Tupi.

Mesmo com pouco tempo no ar, as respostas do público começaram a chegar. A mudança, segundo Arthur Luis, teve ampla aceitação dos ouvintes, que se manifestaram por telefone e pelas redes sociais. “Já tivemos um retorno muito especial, foram muitos comentários positivos e carinhosos dos ouvintes”, conta.

Além da frequência 890 AM, a programação pode ser ouvida ao vivo pela internet por meio do site www.radioplanalto.com.br. Os ouvintes podem entrar em contato com a rádio pelos telefones 3342-1080 e 3342-1090.


Memória


Tradição e credibilidade

Inaugurada em 25 de setembro de 1935 no Rio de Janeiro, a Super Rádio Tupi foi mais uma das ousadias do visionário jornalista Assis Chateaubriand, que queria expandir a força dos Diários Associados para o meio radiofônico.

Não demorou muito para a Tupi, hoje com 82 anos, conquistar o público e formar um elenco de peso na programação. Nos anos 1940, por exemplo, a emissora contava com grandes nomes da música como Dorival Caymmi, Dalva de Oliveira, Jamelão e Vicente Celestino. O rádio teatro também tinha força, com Paulo Gracindo, Yoná Magalhães e Orlando Drummond, por exemplo, no elenco.

A Rádio Planalto tornou-se referência para os brasilienses logo. A emissora surgiu quando a cidade tinha apenas três anos. A fundação ocorreu em 9 de setembro de 1963 e contava com programação musical eclética e jornalismo comunitário. Em 1983, a Planalto chegou a alcançar 54,21% da preferência dos ouvintes na faixa AM, no chamado horário nobre, das 5h às 19h.


Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade