Publicidade

Estado de Minas

Arquiteto genro de Niemeyer pede atenção à Catedral e à Rodoviária

Segundo o arquiteto Carlos Magalhães, a estrutura da Rodoviária é feita de um frágil material que pode se corromper ao longo dos anos


postado em 06/02/2018 14:20 / atualizado em 06/02/2018 15:15

'A estrutura da Catedral é super complexa a ponto de, com o apoio de uma máquina especial, você conseguir levantar ela inteira e girar', afirma o arquiteto(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
'A estrutura da Catedral é super complexa a ponto de, com o apoio de uma máquina especial, você conseguir levantar ela inteira e girar', afirma o arquiteto (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)


O arquiteto Carlos Magalhães, genro de Oscar Niemeyer e responsável por importantes obras de Brasília, como o Cine Brasília e os anexos dos Ministérios, sugere que o governo monitore as obras mais antigas da capital, como a Rodoviária do Plano Piloto e a Catedral Metropolitana de Brasília, por exemplo, para evitar novos desastres na capital.
 
Segundo Magalhães, a estrutura da Rodoviária é feita de um frágil material que pode se corromper ao longo dos anos. “Esses pré-moldados, feitos antes da inauguração de Brasília, precisam de atenção especial. Desde 1959 as coisas estão aí sem atenção. Na Rodoviária, você tem vigas pesadíssimas, ao passo que o esqueleto daquilo tudo é muito sensível. Aquilo precisa ser acompanhado de perto”.


Além da Rodoviária, a Catedral de Brasília também merece atenção, acredita Magalhães. “É um dos edifícios mais seguros, toda cercada de placas neopreme – um tipo de borracha sintética – para evitar movimentos. O problema é que esse prédio tem 60 anos e raramente passa por alguma revista. A estrutura da Catedral é super complexa a ponto de, com o apoio de uma máquina especial, você conseguir levantar ela inteira e girar”.
 
Magalhães acredita que uma comissão do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) ou do próprio governo deveriam ser montadas para fazer avaliações periódicas desses monumentos. “A cidade é patrimônio histórico, você precisa ter cuidado. Não há, nesse país, algum lugar mais importante, arquitetonicamente falando, que Brasília”.
 

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade