ciência e saúde
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Vírus da gripe aviária é descoberto em vítima de insuficiência múltipla A descoberta reforça a preocupação de que as variações sofridas pelo patógeno poderão chegar a uma versão da doença transmissível entre humanos

Bruna Sensêve

Publicação: 05/02/2014 07:10 Atualização: 05/02/2014 07:48

Após a morte de 386 pessoas infectadas com o subtipo H1N5 do vírus da influenza no mundo e 265 casos de pessoas diagnosticadas com o tipo H7N9 em diversos países, a notícia da morte de uma mulher contaminada com uma nova cepa do agente causador da gripe aviária é recebida como alerta e com cautela por médicos e cientistas. O anúncio foi feito hoje por meio da publicação de um artigo na renomada revista científica Lancet pelo grupo de pesquisa liderado por Yuelong Shu, do Centro Chinês para o Controle e Prevenção de Doenças, em Pequim. Segundo os cientistas, uma mulher de 73 anos chegou a um hospital na província de Nanchang em 30 de novembro com sinais de febre e pneumonia severa. A evolução da doença foi muito rápida e, em nove dias, ela morreu de insuficiência múltipla dos órgãos.

O caso fulminante intrigou os médicos, que não viram resposta ao tratamento usual com antibióticos e antivirais. As suspeitas de uma possível infecção com o vírus da gripe aviária foi logo levantada devido às ondas de pandemia da doença que assolam o país há 14 anos. Sete dias após o início da enfermidade, os médicos recolheram uma amostra do tecido da traqueia da paciente na qual foi isolado e identificado o novo subtipo viral, o H10N8. O sequenciamento genético do micro-organismo mostrou que todos os genes dele tinham origem aviária, sendo seis oriundos do já conhecido H9N2. “Uma análise genética do H10N8 mostra um vírus diferente do previamente descrito, sendo que o novo subtipo possui algumas características genéticas mais evoluídas que permitem a replicação eficiente em humanos”, descreve Shu.

Leia mais notícias em Ciência&Saúde

O H10N8 foi previamente isolado em uma amostra de água do Lago Dongting da China, na província de Hunan, em 2007, e, cinco anos depois, detectado em um mercado de aves vivas em Guangdong. Ainda assim, a infecção humana com um subtipo N8 nunca havia sido relatada. Os resultados encontrados pelos pesquisadores chineses mostram que os segmentos de genes H10 e H8 podem ter sido derivados de diferentes vírus da gripe de aves selvagens que se rearranjaram para dar origem ao H10N8 hipotético em aves selvagens. O último infectou aves e, em seguida, fez uma nova adaptação genética com vírus H9N2 em aves domésticas para dar lugar à nova recombinante JX346 do vírus H10N8, como os cientistas denominam o subtipo capaz de infectar humanos.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.


  • Últimas notícias
  • Mais acessadas