SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Enfraquece teoria de que oceanos tenham sido formados pela água de cometas

Assim, ganha força a teoria de que os asteroides são a origem do líquido

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 11/12/2014 09:07 / atualizado em 15/12/2014 16:45

Enquanto o módulo Philae segue adormecido no 67P Churyumov-Gerasimenko por falta de energia, cientistas da Suíça divulgaram um dos primeiros relatórios sobre a composição do cometa feito após análise de material colhido por outro equipamento da sonda Rosetta: o Rosini. Uma equipe liderada por Kathrin Altwegg, da Universidade de Berna, descobriu que a água do 67P tem três vezes mais elementos pesados do que a da Terra. O resultado, divulgado em edição antecipada da Science, enfraquece a hipótese de que os oceanos tenham sido formados pela água de cometas que se chocaram com a Terra. Também coloca em xeque as teorias mais aceitas sobre a formação do Sistema Solar.

Altwegg usou Rosini para medir, na água do 67P, a quantidade relativa de hidrogênio em um dos isótopos desse elemento químico, o deutério. Descobriu que há três vezes mais deutério na água do cometa do que na da Terra, onde há três moléculas pesadas a cada 10 mil moléculas de água normais. “Essa é, provavelmente, uma das proporções mais altas já medidas em relação ao hidrogênio, sendo assim a água mais pesada já encontrada”, conta.

Maria Elizabeth Zucolotto, professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro e curadora de meteoritos do Museu Nacional, considera o resultado inusitado. “Esperávamos ter muito deutério, mas nos cometas que estão distantes. Agora, encontraram em corpos próximos. E isso mexe com as teorias”, avalia.

Leia mais notícias em Ciência&Saúde

Os cometas são considerados cápsulas do tempo porque, desde a formação, praticamente não sofreram alterações. O 67P viaja entre as órbitas da Terra e de Júpiter. No último dia 12, a 55 mil km/h, recebeu o pouso histórico de Philae, também instrumento da Rosetta no desafio de entender a formação do Sistema Solar e a origem da vida. Problemas no pouso impediram que a bateria do módulo fosse recarregada.

José Eduardo Costa, professor do departamento de astronomia Universidade Federal do Rio Grande do Sul

 
— Quais as teorias sobre a origem da água?
Uma delas é que a Terra teria se formado a partir de minerais ricos em água, e que esse líquido já existia quando o planeta se formou. Talvez uma quantidade menor tenha sido adicionada depois a partir de bombardeios de asteroides e cometas.  Uma outra hipótese é que a Terra se formou a partir de materiais secos, e a água que existe hoje teria vindo de fora, com asteroides formados por minerais ricos em água, talvez eles mesmos cobertos por uma crosta de gelo. Ou também por cometas vindos de regiões mais distantes do sistema solar, na órbita de Netuno.

— Como esse estudo influencia esses conceitos?
. Quando se mede a proporção entre o deutério, a gente vê que a proporção de em meteoritos tipo condrito carbonáceo é similar à proporção da Terra. Isso apoia a hipótese que a água teria sido adicionada à Terra por corpos da região das vizinhanças de Jupiter, tanto asteroides quanto cometas de curto período. O que não tinha tanto respaldo era a hipótese de que os cometas de longo período, vindos de regiões mais distantes, é que tivessem adicionado água à Terra. Isso porque a proporção nesses cometas é muito superior aos da família da Júpiter, e mais ainda da encontrada na Terra. Esse estudo apoia a hipótese de que, se a água da Terra veio de for a, foi mais por asteroides do que cometas. Essa medida também mostra que talvez aqueles cometas de curto período, o da família de Júpiter, tenham vindo de regiões muito diferentes do Sistema Solar.  tenham origens em regiões diferentes do sistema solar.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.