Astrônomos detectam moléculas orgânicas fora do Sistema Solar

A descoberta deve ajudar a responder perguntas que há tempos intrigam químicos e biólogos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 15/06/2016 06:10

Brett A. McGuire/P. Brandon Carroll/Divulgação


O encontro da Sociedade Astronômica Americana foi marcado, ontem, pelo anúncio da primeira detecção de moléculas orgânicas complexas quirais fora do Sistema Solar. Se você é um químico, já deve estar empolgado com a informação. Mas talvez precise de mais explicações para compartilhar do entusiasmo demonstrado pelos cientistas presentes no evento, realizado em San Diego, nos Estados Unidos. Saiba, desde já, que a descoberta é apontada como fundamental para esclarecer o processo de formação da vida na Terra.

Em primeiro lugar, o que são moléculas quirais? São aquelas cuja estrutura é a exata imagem invertida uma da outra. Elas são como as mãos humanas: a direita e a esquerda são figuras especulares perfeitas, ou seja, ao serem colocadas diante de um espelho, se tornam uma cópia exata. O nome dessas moléculas, por sinal, vem justamente dessa comparação. Quiral é derivado do grego kheir, que significa mão.

Estranhamente, embora tenham o conteúdo igual, essas moléculas são bastante seletivas na hora de escolher em que organismos vão se manifestar. Cada ser vivo existente no planeta é constituído por apenas uma versão das moléculas quirais. Os aminoácidos que formam as proteínas do corpo humano, por exemplo, são todas “canhotas”, por assim dizer. Em outros seres, todos serão destros. Essa propriedade, chamada homoquiralidade, tem uma série de implicações para as estruturas biológicas, incluindo a organização em dupla hélice do DNA.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.