Saiba quais são os riscos à saúde de se manter em um emprego ruim

Passar anos em um trabalho que causa insatisfação aumenta as chances de depressão, insônia e outros transtornos psíquicos. Os efeitos nocivos costumam ser sentidos depois dos 40 anos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/09/2016 06:00 / atualizado em 06/09/2016 07:48

Arte/CB/DA Press
 

 

A falta de satisfação no trabalho afeta negativamente a saúde das pessoas, mas os efeitos nocivos demoram alguns anos para aparecer, indica um estudo conduzido nos Estados Unidos. Segundo o levantamento, baseado nos dados de milhares de americanos, indivíduos que se dizem infelizes com o emprego quando estão na casa dos 20 e 30 anos têm maior risco de apresentar, depois dos 40, uma variedade de problemas, como depressão e dificuldade para dormir.


Para os autores do trabalho, apresentado recentemente na reunião anual da Associação Americana de Sociologia, os resultados reforçam a relação entre trabalho e qualidade de vida e funcionam como alerta para trabalhadores, empresas e governos. Além disso, a análise traz uma perspectiva de longo prazo pouco explorada nas pesquisas sobre o tema. “Muitos estudos analisaram a relação entre satisfação no trabalho e saúde, mas a maioria considerou apenas a satisfação no emprego atual. Queríamos ver se a insatisfação prolongada tem algum efeito mais forte”, justifica ao Correio Jonathan Dirlam, principal autor do estudo e doutorando em sociologia na Universidade Estadual de Ohio.


Dirlam teve acesso a dados do Exame Longitudinal Nacional da Juventude 1979 (NLSY79, na sigla em inglês), uma ampla pesquisa sobre comportamento de jovens norte-americanos iniciada em 1979, quando os participantes, que periodicamente voltam a ser consultados, tinham entre 14 e 22 anos. Nessa amostra, o autor investigou 6.432 pessoas que, entre os 25 e os 39 anos, avaliaram sua satisfação no trabalho em uma escala de 1 (não gosto nem um pouco) a 4 (gosto muito).

Divisão
Os participantes foram divididos em quatro grupos: os que demonstraram satisfação baixa constantemente, os que se mantiveram sempre satisfeitos, os que iniciaram felizes com o emprego e perderam o prazer na profissão com o tempo e os que começaram insatisfeitos e foram melhorando sua situação. Em seguida, avaliaram-se os indicadores de saúde dessas pessoas depois dos 40 anos.

 

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.