SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Estudiosos reproduzem origem de crateras lunares com auxílio de computador

A formação foi resultado do impacto de um asteroide cinco vezes maior que o que extinguiu os dinossauros na Terra

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/10/2016 06:00 / atualizado em 27/10/2016 21:48


Surgidas pelo impacto de objetos como asteroides, as crateras são uma das características mais marcantes da Lua. Um conjunto dessas depressões, chamado bacia Orientale, sempre chamou a atenção dos cientistas devido ao tamanho e à forma — são três anéis de pedra que compartilham o mesmo centro. Especialistas conseguiram desvendar detalhes da origem dessa região simulando a formação dela pelo computador. O trabalho foi divulgado em dois artigos, na edição desta semana da revista Science e, segundo os autores, pode ajudar a entender melhor outros componentes do espaço com as mesmas características estruturais.

 

Leia mais notícias em Ciência e Saúde


A bacia Orientale foi formada há cerca de 3,8 bilhões de anos, está na região sudeste da Lua e é pouco visível da Terra. A  grande extensão — seu anel mais externo tem cerca de 900 quilômetros de diâmetro — aguça a curiosidade dos cientistas, que discutem, por exemplo, detalhes quanto à origem desse formato. Os pesquisadores sabem que a estrutura foi formada por um objeto, provavelmente um asteroide, que caiu na Lua, mas não conseguem definir o que esse processo desencadeou no solo lunar.

Usando dados da missão Grail, os pesquisadores simularam a queda do objeto que formou Orientale e, nessa reconstituição, viram que o primeiro anel (o mais interno) se formou em consequência do impacto do objeto. O choque provocou calor, que se propagou para a borda da cratera e refletiu, como uma onda, para o centro, criando, assim, um pico central. Com o tempo, esse aglomerado desmoronou, formando o primeiro círculo.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui 

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade