Espécies de tubarão e de raia devem desaparecer no Mediterrâneo

Mais da metade das espécies de tubarão e de raia existentes no mar entre a Europa e a África pode desaparecer, indica relatório da UICN. A pesca excessiva é a principal razão do fenômeno

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/12/2016 07:30 / atualizado em 07/12/2016 07:38

Animal Planet/Reuters

O grande tubarão-branco, o tubarão-azul e o tubarão-martelo ingressaram, pela primeira vez, na relação de espécies “em perigo crítico” de extinção no mar Mediterrâneo. A pesca excessiva é a principal causa da ameaça, segundo relatório divulgado pela União Internacional para a Conservação da Natureza (UICN), uma das mais antigas organizações ambientalistas do mundo. E o cenário de extermínio se estende pelas águas quentes entre a Europa e a África. Das 72 espécies de tubarões e de raias catalogadas no Mediterrâneo, mais da metade, 39, estão ameaçadas de desaparecer na região.

“Esse retrocesso alarmante do número de espécies, notado especialmente na parte noroeste desse mar, está ligado a uma atividade pesqueira mais intensiva”, afirmou a UICN, em um comunicado em que também pede a aplicação urgente de proibições de pesca de algumas espécies. Das 39 ameaçadas, 20 estão em perigo crítico de extinção, sendo oito de raias e 12 de tubarões. “O status de 11 espécies piorou em relação ao relatório de 2007 no Centro Mediterrâneo da UICN, instalado em Málaga, no sul da Espanha,” destaca o relatório. A UICN é conhecida pela produção da lista vermelha, um censo das espécies animais e vegetais em perigo de extinção.

Até o momento, nenhuma espécie desapareceu de todo o Mediterrâneo. Mas a entidade constatou numerosas extinções locais, especialmente no noroeste do mar Mediterrâneo, ao longo das costas francesa, espanhola e italiana, assim como no mar Adriático e no noroeste da África. Entre as três espécies endêmicas, presentes apenas no Mediterrâneo, que figuram no relatório, a raia de Malta aparece em perigo crítico de extinção, a raia áspera, em perigo, e a raia manchada não consta como ameaçada.
 
A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.