Homem passa por transplante de rosto após anos de isolamento e depressão

A cirurgia durou 56 horas: 24 para a remoção do órgão doado e mais 32 para o implante do novo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/02/2017 19:10 / atualizado em 17/02/2017 20:22

Andrew Sandness, 32 anos, passou a última década sem comer direito. Ele sentia dificuldades para respirar e vivia praticamente isolado. Em 2006, sofreu um ferimento que devastou o rosto, tirando boa parte do funcionamento e da estética. No ano passado, o americano passou por uma cirurgia de reconstrução facial quase completa. Agora, recuperado da complicada operação, agradece aos amigos e familiares que o apoiaram – e à família do doador.
 
 
"Minha confiança melhorou e estou me sentindo ótimo – e agradecido. Sou muito grato ao meu doador e a sua família", afirma Sandness. No ano passado, ele recebeu o rosto doado de Calen Ross, 21 anos, que faleceu após um acidente com arma de fogo. A viúva, Lily Ross, grávida de oito meses, concordou em doar os órgãos do marido, incluindo a face.
 
A cirurgia durou 56 horas: 24 para a remoção do órgão doado e mais 32 para o implante em Andrew. A operação contou com cirurgiões plásticos, oftalmologistas, neurologistas, dermatologistas, enfermeiros, além de especialistas em imunologia, saúde mental, serviços sociais e reabilitação. 

Nos últimos meses,  Sandness tem se dedicado a ter uma vida normal. Com acompanhamento regular dos médicos e sessões de terapia, ele já conquistou pequenas vitórias que fazem toda a diferença no cotidiano de uma pessoa: já consegue mastigar bife e pizza e, mais importante, fica feliz de não chamar mais atenção nas ruas e ser "apenas mais um rosto na multidão".

Tentativa de suicídio 

Andrew Sandness passava por uma crise de depressão em 2006 quando resolveu tirar a própria vida. Ele atirou contra o próprio rosto, mas sobreviveu. Imediatamente, com ferimentos graves, se arrependeu e implorou aos médicos para que o salvassem. Andrew passou por dois hospitais antes de ser transferido para a clínica Mayo, em Rochester, onde conheceu seu principal aliado na batalha que duraria 10 anos: o médico Samir Mardini, líder do time que realizou a cirurgia.

"Ele trabalhou duro para se preparar para isso, e durante todo seu período de recuperação tem sido forte, gracioso e determinado. Andy é uma pessoa incrível e muito merecedora desse presente”, declara o cirurgião, que acabou se tornando um grande amigo do paciente. Foi Samir Mardini quem avisou ao paciente, em 2012, que a clínica Mayo ia começar a realizar transplantes de rosto e que ele era o candidato ideal.

A operação envolveu muito trabalho, com uso de tecnologia de planejamento virtual de cirurgia e impressão 3D para otimizar os resultados estéticos e funcionais do novo rosto de Andrew. Era preciso restaurar o nariz, mandíbula, palato, dentes, bochechas, músculos faciais, algumas das glândulas salivares e a pele do rosto. Mesmo com todos os riscos – a cirurgia só foi realizada pouco mais de 20 vezes em todo o mundo – Sandness aceitou o desafio, que considerou sua melhor chance de levar uma vida normal. 

*Estagiária sob supervisão dos editores Anderson Costolli e Humberto Rezende.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.