SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Brasil lança meta para diminuir obesidade até 2019

Mais da metade dos brasileiros estão obesos ou com sobrepeso; obesidade já atinge 20% das pessoas adultas

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/03/2017 17:51

 Reprodução/Internet/Saúde na Comida
 
Dados do novo relatório da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e da Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) revelam que mais da metade da população brasileira está com sobrepeso e a obesidade já atinge a 20% das pessoas adultas. Segundo o relatório, com base em dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o sobrepeso em adultos passou de 51,1% em 2010, para 54,1% em 2014.


Leia mais notícias em Ciência e Saúde

A tendência de aumento também foi registrada na avaliação nacional da obesidade. Em 2010, 17,8% da população era obesa; em 2014, o índice aumentou para 20%, sendo a maior prevalência entre as mulheres, 22,7%. O documento também apontou o aumento do sobrepeso infantil. Estima-se que 7,3% das crianças menores de cinco anos estão acima do peso, sendo as meninas as mais afetadas, 7,7%.

O crescimento econômico, a urbanização e a mudança nos padrões de consumo são alguns aspectos que explicam o crescente aumento do sobrepeso. O relatório aponta que muitas famílias têm deixado de consumir pratos tradicionais e aumentado a ingestão de alimentos ultraprocessados e de baixa qualidade nutricional.

Por conta desses dados, durante o evento internacional realizado na sede da Organização Pan-Americana da Saúde e Organização Mundial da Saúde (OPAS e OMS) em Brasília, o Brasil assumiu o compromisso de frear o crescimento do excesso de peso entre a população. A medida faz parte da chamada "Década de Ação das Nações Unidas para a Nutrição" da ONU, acordo que prevê que haja incentivo dos países à alimentação saudável.

O país assumiu três compromissos até o ano de 2019. O primeiro deles envolve deter o crescimento da obesidade na população adulta por meio de políticas de saúde e segurança alimentar e nutricional; em seguida reduzir o consumo regular de refrigerante e suco artificial em pelo menos 30% na população adulta; e por fim ampliar em no mínimo 17,8% o percentual de adultos que consomem frutas e hortaliças regularmente.

O ministro da Saúde, Ricardo Barros, informou que a prevenção da obesidade é a marca da atual gestão da pasta. Segundo o ministro, o Brasil vem enfrentando um aumento expressivo de sobrepeso e obesidade em todas as faixas etárias, e as doenças crônicas são as principais causas de morte entre adultos. 

Ainda segundo Barros, o setor da saúde tem um papel importante na promoção da alimentação adequada e saudável. Desta forma, o Ministério tem reforçado os programas e as iniciativas que buscam mudar o hábito da população e incentivar práticas mais saudáveis.

Combater a obesidade implica em adotar sistemas alimentares saudáveis e sustentáveis que unam agricultura, alimentação, nutrição e saúde. É necessário fomentar a produção sustentável de alimentos frescos, seguros e nutritivos, além de garantir a oferta, a diversidade e o acesso a essa alimentação. Isso deve ser complementado com educação nutricional e advertências sobre a composição nutricional dos alimentos ricos em açúcar, gordura e sal aos consumidores.Algumas empresas do setor alimentício já começaram a se adaptar a necessidade de alimentação saudável da população
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
isidoro
isidoro - 28de Março às 18:11
Agora que o povo começa a engordar, já querem que emagreça. É só deixar o PT voltar que a crise aperta mais ainda e ai o povo vai fazer regime.