Ministério da Saúde confirma mais de 200 mortes por febre amarela no país

O país vive a pior epidemia da doença desde a década de 1970

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 07/04/2017 19:50 / atualizado em 07/04/2017 20:01

Arthur Menescal/Esp.CB/D.A. Press


Em novo boletim divulgado pelo Ministério da Saúde, o Brasil já conta com 202 mortes devido à febre amarela. A maioria delas ocorreu no estado de Minas Gerais (148), seguido por Espírito Santo (43), São Paulo (4), Pará (4) e Rio de Janeiro (3). Outras 48 mortes nesses locais foram notificadas, mas ainda estão sob investigação da pasta. No Distrito Federal não houve mortes, apenas um caso ainda não confirmado com a doença.


Epidemia

O país vive a pior epidemia da doença desde a década de 1970. O Departamento de Vigilância das Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde alertou que a situação atual é mais grave do que os registros do último grande surto, ocorrido entre 2007 e 2008, quando houve 48 casos confirmados e 28 mortes. Em 2016, foram confirmados apenas sete contaminações, mas neste ano já são 2.210 casos suspeitos, sendo que 604 foram confirmados e 552 estão sendo investigados.

Para tentar frear o surto, o governo mudou de orientação nesta semana e passou a adotar a dose única, estratégia recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS), que garante proteção durante toda a vida. Assim, a população que não vive nas áreas de recomendação ou não vai se dirigir a essas áreas não precisa buscar a vacinação neste momento. “A partir de agora, as pessoas que já tomaram uma dose, não precisam se vacinar mais contra a febre amarela ao longo da vida”, afirmou o ministro Ricardo Barros.

A vacinação de rotina para febre amarela é aplicada em 19 estados (Acre, Amazonas, Amapá, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Distrito Federal, Goiás, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Bahia, Maranhão, Piauí, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina). Os estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo também oferecem a vacina.

Segundo dados do Ministério da Saúde, mais de 21,6 milhões de doses extras foram enviadas para as áreas de risco. Além disso, foram distribuídas, desde janeiro deste ano, 4,4 milhões doses da vacina de rotina para todas as unidades da federação.

Reforça para vacinação

Para tentar bloquear o avanço da febre, o Ministério liberou verba para municípios considerados prioritários. Serão repassados R$ 13,885 milhões para ações de reforço da vacinação realizadas a partir de janeiro em 256 municípios de Minas Gerais, Espírito Santo, Rio, Bahia e São Paulo. Será feito também adiantamento de 40% nos recursos extras para ações de vigilância em saúde, de R$ 26,3 milhões. Esse recurso tradicionalmente é encaminhado às prefeituras a partir de abril. Saiba mais em Ministério da Saúde liberta verba extra para combate contra a febre amarela
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.