Principais formas de reduzir pegada de carbono são ignoradas

Um artigo publicado na revista Environmental Research Letters descreveu uma "oportunidade perdida" para permitir que as pessoas conheçam as medidas mais eficazes que elas podem adotar para reduzir as emissões de dióxido de carbono

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 13/07/2017 10:00

Miami, Estados Unidos - Pesquisadores da Suécia identificaram as quatro principais coisas que as pessoas podem fazer para reduzir sua pegada de carbono, mas advertiram, na terça-feira (11/7), que esses passos raramente são promovidos na esfera pública. 
 
Um artigo publicado na revista Environmental Research Letters descreveu uma "oportunidade perdida" para permitir que as pessoas conheçam as medidas mais eficazes que elas podem adotar para reduzir as emissões de dióxido de carbono, principal motor do aquecimento global. "Descobrimos que existem quatro ações que podem resultar em reduções substanciais da pegada de carbono de um indivíduo: comer uma dieta baseada em vegetais, evitar viagens aéreas, viver sem carro e ter famílias menores", disse o autor principal, Seth Wynes, da Universidade de Lund, na Suécia. 
 
"Por exemplo, viver sem carro economiza cerca de 2,4 toneladas de equivalente de CO2 por ano, e ter uma dieta baseada em vegetais economiza 0,8 toneladas de equivalente de CO2 por ano", acrescentou. 
 
Evitar se transportar em avião economiza cerca de 1,6 toneladas de equivalente de CO2 por viagem. De longe, a ação mais eficaz é ter uma criança a menos, o que economiza uma média de 58,6 toneladas de emissões de equivalentes de CO2 por ano, segundo o relatório. "Uma família dos Estados Unidos que escolhe ter uma criança a menos proporciona o mesmo nível de redução de emissões que 684 adolescentes que optam por adotar uma reciclagem abrangente pelo resto de suas vidas", afirmou. 
 
Esses quatro passos foram identificados a partir de uma análise de 39 artigos revisados %u200B%u200Bpor pares, calculadoras de carbono e relatórios do governo que calculam como escolhas individuais de estilo de vida podem reduzir as emissões de gases de efeito estufa. 


Quando os pesquisadores procuraram ver quais ações anti-carbono eram promovidas em livros didáticos canadenses e em comunicações dos governos dos Estados Unidos, Austrália, Europa e Canadá, eles encontraram um foco geral em "mudanças graduais com um potencial muito menor para reduzir as emissões". 
 
Por exemplo, as estratégias governamentais comumente promovidas incluíam a troca de lâmpadas e reciclagem abrangente. Os pesquisadores disseram que essas medidas são respectivamente oito e quatro vezes menos efetivas do que uma dieta baseada em vegetais. Nenhum dos livros didáticos canadenses mencionou limitar o tamanho da família como forma de reduzir a pegada de carbono. 
 
Racionalizar a mensagem das escolas e dos governos poderia gerar grandes avanços para reduzir as emissões de gases de efeito estufa até os níveis necessários para manter o aquecimento do planeta abaixo de 2 graus Celsius, disseram os pesquisadores. "Há muitos fatores que afetam o impacto climático das escolhas pessoais, mas juntando todos esses estudos temos confiança de que identificamos ações que fazem uma grande diferença", disse Wynes. 
 
"Aqueles de nós que querem avançar na questão climática precisam saber como nossas ações podem ter o maior impacto possível", acrescentou.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.