Obesidade pode prejudicar sistema sanguíneo e levar à leucemia

O sobrepeso pode comprometer a %u201Cdiversidade saudável%u201D produzida pela fábrica humana de sangue, o que deixa o corpo mais vulnerável para o surgimento de leucemias

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/12/2017 06:00

Kleber Sales/CB/D.A Press
 
A obesidade pode prejudicar o sistema sanguíneo, aumentando as chances de surgimento de câncer. É o que mostra um estudo americano divulgado ontem no Journal of Experimental Medicine. Em testes com camundongos, os investigadores mostraram que, a longo prazo, o sobrepeso pode comprometer a “diversidade saudável” produzida pela fábrica humana de sangue, as células-tronco hematopoiéticas. Dessa forma, deixa o corpo mais vulnerável para o surgimento de leucemias.

“Hoje, compreendemos que as células-tronco do sangue são constituídas por inúmeros subconjuntos de células. Manter esses compartimentos saudáveis é essencial para a saúde humana, o que inclui a manutenção do vasto conjunto de estruturas hematopoiéticas”, ressalta, em comunicado, Damien Reynaud, autor principal do estudo e pesquisador do Hospital Infantil de Câncer do Sangue de Cincinnati.

No experimento com roedores, os cientistas identificaram que o estresse oxidativo relacionado à obesidade altera a arquitetura celular das células-tronco hematopoiéticas e reduz progressivamente a aptidão funcional dessas estruturas. O pior é que alguns desses prejuízos persistiram mesmo depois que os animais tiveram o peso normalizado por meio de dietas.

Para os autores, essas alterações parecem estar ligadas a alta expressão de um fator de transcrição chamado Gfi1 — um gene regulador, responsável por “dizer” a outros genes o que fazer. Os estresses oxidativos causados pela obesidade levam à superexpressão de Gfi1 no corpo, que gera “um caos celular” na fábrica de sangue.

Leia as últimas notícias de Ciência e Saúde


Segundo a equipe, a pesquisa fornece bases para investigar como escolhas de estilo de vida, como a dieta e a prática de exercícios físicos, podem afetar de forma duradoura a formação de sangue e também procedimentos médicos para o combate à doença. “Pouco se sabe sobre como a obesidade em doadores de medula pode afetar a qualidade do compartimento das células-tronco hematopoiéticas”, explica Reynaud. “Queremos entender melhor as alterações moleculares na obesidade para prever riscos potenciais associados ao uso terapêutico de células-tronco isoladas de doadores obesos.”

Mudança de função


Geralmente de origem desconhecida, a leucemia ocorre quando os glóbulos brancos deixam de lado a função de defesa do corpo e passam a se produzir descontroladamente na medula óssea. Entre os principais sintomas estão anemia, fadiga, infecções recorrentes, sangramentos nas gengivas e no nariz e manchas roxas na pele. O tratamento consiste em fazer com que as células doentes sejam destruídas e a medula volte a produzir células normais. Segundo o Instituto Nacional de Câncer (Inca), em 2016, foram diagnosticados no Brasil 10.070 novos casos da doença, sendo 5.540 em homens e 4.530 em mulheres.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.