Clube de leitura Leia mulheres estreia na capital com edição no Sebinho

O projeto tem como objetivo valorizar a leitura de obras produzidas por mulheres

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/09/2015 07:30

Adriana Izel

Elisa Borges/Divulgação

Ler mais escritoras. Esse é o objetivo do Leia mulheres que surgiu em 2014 após iniciativa da escritora britânica Joanna Walsh. No ano passado, como forma de trazer à tona a desigualdade de gênero na literatura, ela propôs promover um equilíbrio por meio da criação de um projeto, que teria como foco ler e discutir apenas obras produzidas por mulheres. “Por que editamos, publicamos, traduzimos, divulgamos, estudamos, discutimos menos a produção de ficção e de não ficção de mulheres? O que fazer para mudar isso? Ler as obras de escritoras, valorizar outras profissionais mulheres do mundo editoria”, escreveu Joanna no perfil oficial do projeto nas redes sociais.

Inspiradas pela iniciativa internacional, as brasileiras Juliana Gomes (consultora de marketing), Juliana Leuenroth (jornalista) e Michelle Henriques (transcritora) criaram o clube de leitura com o mesmo nome no Brasil em fevereiro deste ano. O primeiro encontro foi em março em São Paulo. Assim o projeto percorreu várias cidades brasileiras, como Rio de Janeiro e Belo Horizonte, até chegar a Brasília.

A versão brasiliense terá sua primeira edição nesta quinta-feira (17/9), a partir das 20h, na livraria Sebinho (406 Norte). Ela foi criada após uma iniciativa da jornalista Mariana de Ávila. “Comecei a acompanhar o clube de livros em outras cidades, mandei uma mensagem pelo Facebook e conversamos sobre fazer uma edição em Brasília. Depois o outro passo foi encontrar um lugar e pensar no livro”, conta.

Assim, Mariana convidou sua amiga também jornalista Patrícia Rodrigues para fazer a mediação ao seu lado no projeto. “Parece que foi uma transmissão de pensamento, eu estava em busca de clubes de leitura e a Mariana me ligou e falou da proposta. Logo, eu topei participar”, comenta Patrícia. Em conjunto, a dupla escolheu o livro da primeira edição do clube de leitura, que será Cinderela chinesa, da escritora chinesa Adeline Yen Mah. “Eu já tinha lido esse livro e gostava muito da história e ele ainda não tinha sido discutido em outras edições do Leia mulheres. O bacana é que o enredo da obra de uma mulher chinesa que cresceu na década de 1940, num período que era muito mais difícil ser mulher, e tem como discutir as temáticas relacionadas as mulheres”, explica.

Reprodução/Youtube

Durante o encontro, Mariana e Patrícia farão um resumo do livro e depois abrirão para o debate. “Vamos falar sobre a história, porque como é a primeira edição pode ser que tenha gente que nunca leu o livro”, afirma. Nas próximas edições, a ideia é selecionar até cinco livros e colocar para votação do público. A expectativa é de que a versão do Leia mulheres em Brasília ocorra uma vez por mês. A próxima deve ser no meio de outubro, ainda sem data exata e local confirmado.

Obra escolhida

O livro escolhido para o encontro Cinderela chinesa foi lançado em maio de 2005. A obra de autoria da chinesa Adeline Yen Mah é considerada uma autobiografia da escritora. “Cinderela chinesa é minha autobiografia. Foi difícil e doloroso escrevê-la, mas me senti compelida a fazê-lo. A história da minha infância é simples e pessoal, mas, por favor, não subestime a força desse tipo de relato”, conta no prefácio da obra.

Adeline Yen Mah coloca no livro muitas referências à cultura chinesa e faz um relato, como que contado por uma criança, de sua infância. A escritora viveu em um delicado momento histórico, com as causas e consequências da Segunda Guerra Mundial e com o próprio país passando por guerras civis.

SERVIÇO
Leia mulheres
Hoje, às 20h, no Sebinho (406 Norte, Bl. C). Primeira edição do clube de leitura com mediação de Mariana de Ávila e Patrícia Rodrigues. Discussão do livro Cinderela chinesa, de Adeline Yen Mah. Entrada franca. Classificação indicativa livre.

LIVRO

Cinderela chinesa – A história secreta de uma filha renegada
De Adeline Yen Mah. Com tradução de José Rubens Siqueira. Companhia de Letras, 176 páginas.

Leia mulheres pelo Brasil

São Paulo
O projeto começou na capital paulista em março deste ano. O próximo encontro está marcado para 29 de setembro, às 19h30, no Blooks Livraria, no Frei Caneca Shopping. O livro escolhido é Jazz de Toni Morrison.

Rio de Janeiro
Na cidade maravilhosa, o clube de leitura se reúne todo mês. Em setembro, o último encontro foi no dia 9 e em outubro está marcado para o dia 14, às 19h30, no Blooks Livraria, em Botafogo. A obra Redoma de vidro, de Sylvia Plath, será o tema.

Porto Alegre
A cidade recebeu uma edição em agosto e já tem outra prevista para 26 de setembro, às 16h, na Usina do Gasômetro. O livro que será discutido também é Redoma de vidro, de Sylvia Plath.

Belo Horizonte

O livro Orlando de Virginia Wolf será o tema de discussão no clube em BH, que está marcado para 30 de setembro, às 19h30, no Café com Letras.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.