SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

De Gonzagão a Aviões do forró: o estilo musical do são-joão mudou?

Sertanejo universitário, forró elétrico, xé e música eletrônica são alguns dos estilos que podem ser encontrados nas festas nos dias de hoje

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 05/06/2016 07:04 / atualizado em 04/06/2016 19:43

Arquivo/CB/D.A Press
 

Em um dos clássicos do cancioneiro junino, os compositores Haroldo Lobo e Geraldo Medeiros citam uma sanfona que insiste em tocar a mesma música: “De vez em quando alguém vinha pedindo pra mudar/ o sanfoneiro ria querendo agradar/ diabo que a sanfona tinha qualquer enguiço/ mas é que o sanfoneiro, ele só tocava isso”. No entanto, mal sabiam os músicos que os acordes da sanfona perderiam espaço nos festejos de são-joão Brasil adentro para outros instrumentos mais comuns aos ritmos agora tocados nesse tipo de evento, como o forró elétrico, o sertanejo universitário, a axé music e até a música eletrônica. “Assim como tem a cultura da fogueira, da bandeirinha, da comida típica, o forró pé de serra, o xote, o xaxado e o arrasta pé fazem parte dessa cultura. Não sei se foi o forró que perdeu espaço ou se os outros gêneros foram ganhando mais”, considera Thiago Lunar, cantor brasiliense de forró.


O sanfoneiro só tocava isso até tem mais chances de voltar a ser executada nos grandes eventos juninos do que clássicos como Olha pro céu, Pula a fogueira e Chegou a hora da fogueira. O motivo é que a música consagrada nas vozes de Tonico & Tinoco ganhou uma versão do grupo de folk, Suricato, feita para a trilha sonora da novela Etâ mundo bom!, da Rede Globo. No ano passado, segundo ranking do Escritório Central de Arrecadação e Distribuição (Ecad), a música de Haroldo Lobo e Geraldo Medeiros apareceu em segundo lugar na lista de mais executadas em festejos populares de escolas e igrejas, atrás apenas de Festa na roça, de Palmeira e Mario Zan. “O mercado da música virou um grande balcão de negócios, onde o que faz sucesso são as canções do momento que tocam no rádio”, analisa Edvan Antunes, pesquisador de cultura popular brasileira.

Modernização

Já nos shows ao vivo em grandes festas juninas, O sanfoneiro só tocava isso não aparece nem entre as 20 mais tocadas. Nesse ranking, a vencedora é Maus bocados (Gerson Gabriel, Rafael e Bruno Varajão), sucesso do falecido cantor Cristiano Araújo. O top 5 dessa lista se divide em sertanejo universitário e arrocha — apenas na décima segunda posição aparece uma faixa do forró tradicional, Asa branca (Humberto Teixeira e Gonzagão). Das 20 canções mais executadas, apenas quatro são do estilo; além de Asa branca, estão Eu só quero um xodó (Anastácia e Dominguinhos), Numa sala de reboco (José Marcolino e Gonzagão) e O xote das meninas (Zé Dantas e Gonzagão). Já os artistas que mais têm faixas executadas são Henrique & Juliano e Jorge & Mateus, cada dupla com três canções na lista das mais tocadas nos festejos.

“O que acontece é que o Brasil se afastou da cultura popular. O país não tem um apego às suas origens. Dificilmente uma tradição perdura e as festas populares sofrem influência disso”, alerta Edvan Antunes. De acordo com o estudioso, o Brasil vive uma colonização cultural americana, absorvendo apenas a influência dos Estados Unidos, como as batidas eletrônicas, e deixando de lado sua própria cultura popular. “Por conta disso, as raízes das festas populares, como a junina, acabam se desfigurando e as gerações, perdendo essa referência”, completa.

Músicas mais tocadas em shows em festas juninas (2015)

1. Maus bocados —  Cristiano Araújo

2. Nocaute — Jorge & Mateus

3. Porque homem não chora — Pablo

4. Não tô valendo nada — Henrique & Juliano

5. Até você voltar — Henrique & Juliano

6. Suíte 14 — Henrique & Diego

7. Jeito carinhoso — Aviões do Forró

8. Vai vendo — Lucas Lucco

9. Assiste aí de camarote — Wesley Safadão

10. Calma — Jorge & Mateus

11. Fui fiel — Gusttavo Lima

12. Asa branca — Luiz Gonzaga

13. Faça ela feliz — Henrique & Juliano

14. Logo eu — Jorge & Mateus

15. Aquele gelo que você me deu — Wesley Safadão

 

A matéria completa está disponível aqui para assinantes. Para assinar, clique aqui

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.