SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Festival Porão do Rock reúne 10 mil pessoas em sua 19ª edição

Quem fecha a programação da festa, às 2h10, segundo a previsão dos organizadores, é o Planet Hemp, que tem como vocalistas Marcelo D2 e BNegão

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 30/10/2016 00:22 / atualizado em 30/10/2016 00:31

Irlam Rocha Lima

Gerdan Wesley/Divulgação
 
 
Um público de aproximadamente 10 mil pessoas, segundo a organização, participa da 19ª edição do Porão do Rock neste sábado (29/10), em arena instalada próximo ao estádio Mané Garrincha. 

A extensa programação está sendo desenvolvida desde as 15h30, quando subiu ao palco Chilli Beans a banda brasiliense My Last Bike. Pelo mesmo palco, passaram outras bandas locais, como Joe Silhueta e Zamaster, além da potiguar Far From Alaska e o rapper paulista Emicida. À 0h, que subiu ao palco foi o Ira!, que comemora 30 anos de carreira. 
 
Alessandro Dantas/Divulgação
 
 
Já no palco Budweiser, houve shows de bandas de Brasília, como Passo Largo e Gatunos, que foi o primeiro a subir nesse palco. O público também conferiu as apresentações de Nafandus (CE), Supla, Nação Zumbi - que foi um dos shows que mais entusiasmou o público - e Boogarins, banda goiana que tem muitos admiradores na capital. 
 
 
Um outro palco é o Brasília, onde se apresentam 12 bandas de metal, como Peso Morto (DF) - que abriu a programação deste palco -, Lost in Hate (DF), Project 46 (SP), Zumbis do Espaço (SP) e Miasthenia (DF).

Entre as 28 bandas que participam do festival, existem conjuntos de diferentes tendências: de Indie Rock a Surf Music, passando por Punk Rock e Manguebeat. Quem fecha a programação da festa, às 2h10, segundo a previsão dos organizadores, é o Planet Hemp, que tem como vocalistas Marcelo D2 e BNegão.
 
Gerdan Wesley/Divulgação
 
 
Na plateia, estão roqueiros de várias faixas etárias. Balé, por exemplo, é ex-baterista da Escola de Escândalo, banda dos anos 1980, mesma geração da Legião Urbana. Ele disse que costuma frequentar o festival e que veio curioso neste ano para ouvir a Boogarin. Porém, o que mais lhe chamou a atenção foi o show comemorativo do lançamento do primeiro disco do Ira!.

Já o estudante de Ciências Políticas da Universidade de Brasília (UnB)Victor Schneider disse que é roqueiro e que gosta do clima tranquilo do festival. "As pessoas vêm para ouvir suas bandas preferidas. A minha é Far From Alaska, que conheci em São Paulo, no Lollapalooza de 2015", afirmou.
 


publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade