SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Banda brasiliense Scalene ganha projeção internacional após Grammy Latino

Influenciados por bandas como Queens of the stone age e Radiohead, o grupo começou como um quinteto

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/11/2016 07:30 / atualizado em 24/11/2016 10:39

Divulgação


Um dos maiores destaques da cena de rock brasileira dos últimos tempos, a banda brasiliense Scalene venceu a categoria de melhor álbum de rock em português no Grammy Latino deste ano. O disco Éter, o segundo da carreira da banda, colecionou boas críticas pelo país ao ser lançado em maio do ano passado, logo após a participação no programa Superstar, da rede Globo.

Apesar de a carreira ter deslanchado a partir das apresentações no reality show, a história da banda começou bem antes, em 2009. Influenciados por bandas como Queens of the stone age e Radiohead, o grupo começou como um quinteto, com Alexia Fidalgo como a vocalista, que acabou saindo em 2012. Quem assumiu os vocais foi Gustavo Bertoni, até então somente guitarrista da banda.

No mesmo ano, lançaram o primeiro EP, intitulado Cromático, que lançou a primeira luz sob o grupo e abriu espaços para as músicas em rádios e tevês em todo o Brasil. 2013 foi o ano do primeiro disco, o Real/surreal e, com ele, o primeiro sucesso, Danse/macabre que ajudou a levar o álbum para várias listas de melhores lançamentos do ano.

O álbum também chamou a atenção de produtores, que acabaram convidando a banda para tocar em grandes festivais nacionais e internacionais, como o Lollapalooza, o Festival do Sol, em Natal (RN) e o SXSW (South by Southwest), em Austin, Texas.




O ano seguinte, 2015, foi o que levou o grupo ao topo do cenário musical brasileiro. Com a participação no Superstar e as sucessivas boas apresentações, elogiadas pelo público e pelos jurados, a Scalene chegou à final da competição, perdendo para a dupla Lucas e Orelha, mas ainda assim conquistando boa parte do público.

2015 também foi o ano do lançamento de Éter, um álbum muito esperado após a participação no reality. Bem aceito pela crítica e pelo público, o disco ajudou a abrir uma grande agenda de shows por todo o país.

O Grammy
O grupo brasiliense concorreu com as bandas Boogarins, Ian Ramil, Jay Vaquer e Versalle, mas acabou levando o troféu para casa. O vocalista, Gustavo Bertoni, descreveu a sensação de ganhar o prêmio. “Pulamos da cadeira, ficamos surpresos e felizes. Eu tinha que manter a calma para fala de agradecimento e confesso que só me toquei do que tinha acontecido quando fomos tirar a foto com o Grammy em mãos. Ela captou o exato momento em que estava falando “Como assim?!” e tentando manter a pose”, disse.

O vocalista também explicou que ganhar o Grammy não era uma meta, mas uma vontade distante. “Determinamos metas e ao alcançá-las ganhamos experiência e confiança para mirar mais alto. Nesse caso, era uma vontade distante mais do que meta. Foi uma coisa que aconteceu meio do nada, sem planejar. Vamos continuar focando nas coisas que acreditamos manter nosso trabalho inspirador, profissional e verdadeiro — o resto é consequência”.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade