SIGA O
Correio Braziliense

publicidade

Marcelo Yuka, ex-baterista d'O Rappa, está internado com quadro infeccioso

Nota do hospital informa que o músico permanece 'com saúde estável e lúcido'

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 24/11/2016 14:40 / atualizado em 24/11/2016 14:41

Julia Kurc/Divulgação
 
O ex-baterista do Rappa Marcelo Yuka está internado com um quadro infeccioso. O músico deu entrada no dia 8 de novembro no Centro de Terapia Intensiva do Hospital São Fransisco da Província de Deus, no Rio de Janeiro, onde permanece "com saúde estável e lúcido", conforme informou o estabelecimento nesta quarta-feira (23). 

"O Hospital São Fransisco da Província de Deus informa que o paciente Marcelo Fontes do Nascimento Viana de Santa'Ana cohecdo popularmente por Marcelo Yuka, deu entrada no nosso hospital no dia 8 de novembro, com quadro infeccioso. Desde então, permanece em nosso CTI, onde está recebendo os cuidados compatíveis com seu quadro clínico. O paciente está lúcido e seu quadro é estável", diz o texto divulgado pelo hospital. 

Quem primeiro alertou para o estado de Marcelo foi a cineasta Daniela Broitman, diretora do documentário Marcelo Yuka no caminho das setas. "A maioria dos seus amigos não sabe da sua situação e eu não conseguiria avisar um a um. Neste momento, o que ele mais precisa é de afeto, amor e de preces. Precisa que os amigos próximos estejam com ele. Amanhã ele fará a terceira cirurgia desde que foi internado", publicou ela em uma rede social. 

O empresário do artista, Marcelo Magalhães, desmentiu ao jornal Folha de S.Paulo a suposta cirurgia e acalmou os fãs. "Houve uma precipitação de uma amiga que foi visitar e e saiu mal impressionada. A condição do Marcelo é muito ruim, ele tem várias limitações desde que sofreu aquele acidente, ele sofre por conta de sua condição de cadeirante, mas não é o fim da linha", explicou o empresário. O acidente ao qual ele se refere ocorreu em novembro de 2000, quando o então baterista foi baleado quatro vezes nas costas ao tentar impedir um assalto e se tornou paraplágico. 
 
Por: Diário de Pernambuco 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.