Após decreto de Trump, diretor iraniano não poderá comparecer ao Oscar

O cineasta Asghar Farhadi foi indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro por 'O apartamento'

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 28/01/2017 18:09

Indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro por O apartamento, o diretor iraniano Asghar Farhadi não poderá comparecer à cerimônia de premiação por causa de decreto assinado pelo presidente norte-americano, Donald Trump.

A medida de Trump proíbe, temporariamente, todos os iranianos, à exceção dos que tenham passaporte diplomático, de entrar nos Estados Unidos. 

O presidente do Conselho Nacional Iraniano Americano (responsável por promover a relação entre os dois países), Trita Farsi, confirmou a informação por meio do Twitter.

O apartamento marca a segunda indicação  de Asghar Farhadi  ao prêmio. Em 2012, ele venceu a categoria com o longa A separação.

Protesto


Na quinta-feira, a atriz iraniana Taraneh Alidoosti, protagonista de O apartamento, já havia afirmado, no Twitter, que boicotaria a cerimônia de entrega do prêmio. O ato é um protesto contra a medida do presidente Donald Trump de banir vistos para países majoritariamente muçulmanos. Para a atriz, a decisão é racista.

“A proibição de visto para os iranianos é racista. Se o eventos culturais estão incluídos ou não, eu não irei aos #AcademyAwards 2017 como protesto”, disse a atriz iraniana.

A medida


Aprovada na sexta-feira por Trump, a ordem suspende por 120 dias o amparo a refugiados nos EUA. A intenção seria analisar o sistema e evitar que radicais entrem no território americano.

A medida suspende também a concessão de vistos a países de maioria muçulmana. Líbia, Sudão, Somália, Síria, Iraque, Iêmen e Irã são os países afetados inicialmente pela decisão. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.