RZO e Rincon Sapiência lançam discos

Quem tá no jogo, dos paulistas do RZO, e Galanga livre, de Rincon Sapiênca, movimentam o rap nacional

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 17/06/2017 07:00

Melina Tavas Comunicacao/Divulgacao

 

O ano de 2017 anda promissor para o rap nacional. Primeiramente, porque é quando o Racionais MC’s completam 30 anos de carreira. Essa história foi contada em exposição na capital paulista e demonstra que o mercado anda muito bem com as próprias pernas, ancorado pelo sucesso de gigantes e com o talento de nomes menos conhecidos. Outros dois lançamentos fonográficos recentes engrossam a tese.



O primeiro deles é o disco Quem tá no jogo, dos paulistas do RZO. Fundado em Piritiba, na Zona Oeste de São Paulo, o grupo encerra um hiato de longos anos sem um álbum de inéditas.

Conhecidos por projetar nacionalmente figuras como o rapper Sabotage, os paulistas do RZO trazem um disco pertinente e com participações impactantes, de Negra Li (que já integrou o grupo) aos americanos do Bone Thugs N Harmony. Até a bateria da escola de samba Gaviões da Fiel entrou no balaio, sinalizando o que é rap brasileiro hoje: plural como nunca, ativo como sempre.

A democracia que permeia as redes sociais faz com que muitos deles criem projetos e entreguem um material honesto a cada vez mais pessoas, sem que para isso precisem tocar nas rádios. “Resolvemos voltar em 2014, por causa, principalmente, de uma grande mobilização na internet dos fãs com a hashtag #voltarzo. A pressão para um novo trabalho era inevitável. E foi uma grande vontade nossa”, recorda-se Sandrão Barbosa, um dos fundadores do RZO.

DJ Cia, colega de empreitada, conta que, mesmo passados quase 15 anos desde o último disco (o elogiado Evolução é uma coisa, de 2003), alguns temas continuam urgentes. “Infelizmente ainda enfrentamos os mesmos problemas, alguns até estão piores. O rap sempre levantou essa bandeira de manifesto, porque vem das periferias, de quem mais sofre com essas questões sociais e raciais, com a falta de comprometimento dos políticos”, explica.

Ponta de lança

Mesmo sem um disco físico lançado, em contexto diferente do grupo RZO, o também paulista Rincon Sapiência causou burburinho parecido no rap nacional atual. Ele começou tímido com Elegância, uma faixa lançada em 2010. A coroação veio anos depois, ao lançar o single Ponta de lança, no final do ano passado. 

Melina Tavas Comunicacao/Divulgacao

Quem tá no jogo
Terceiro disco do RZO. Independente, 19 faixas. Disponível para audição nas plataformas digitais.

Melina Tavas Comunicacao/Divulgacao

Galanga livre
Disco de estreia de Rincon Sapiência. Boia Fria Produções, 13 faixas. Preço médio: R$ 25,90.

 

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.