Novo Transformers busca explicar o passado dos carros-robôs

Na despedida do cineasta Michael Bay da bilionária franquia, Transformers: O último cavaleiro aposta na caça às origens dos autobots

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 20/07/2017 07:00 / atualizado em 19/07/2017 18:28

Paramount / divulgação
 


É um filme de libertação, quase uma catarse para o diretor Michael Bay, que chega ao quinto exemplar de Transformers, preso num projeto que se arrasta há quase 10 anos. Desde o negativista futurismo impresso em A ilha (2005), Bay só se desvencilhou do cotidiano dos robôs alienígenas que viram carros, noutra única ocasião: estando à frente do policial cômico Sem dor, sem ganho (2013). Transformers: O último cavaleiro chega às telonas de mais de 700 salas nacionais como a despedida de Bay na pele de diretor da franquia. Mas os fãs não precisam se desesperar: ele confirmou que não largará o osso, lucrativo na escala dos bilhões de dólares, atuando como produtor das futuras fitas de Transformers.
 
Despontando em mais de uma dúzia de carros, os autobots — a ala de alienígenas do bem—– abraçam na trama de O último cavaleiro a grande obsessão da franquia de Transformers: a origem. O motivo pelo qual existem e o resgate do lar original (o famoso planeta Cybertron) sempre está em pauta, nos enredos que despontaram em 2007. Aqui, não é diferente. E os desdobramentos das descobertas de vida para os alienígenas se provam tão remotos a ponto de alcançarem o período das lendas arturianas. Quintessa, uma espécie de deusa das criações dos transformers, desponta como personagem-chave para a pancadaria pura impressa na telona.
 
 
 
Na Terra, muito da ação estará concentrada em Cade Yeager (Mark Wahlberg), o defensor dos alienígenas em choque com a TRF (Força de Reação a Transformers). Narrado pelo personagem de Anthony Hopkins, o lorde Edmund Burton, o filme coloca em relativo destaque a corajosa menina Izabella (papel reservado a Isabela Moner, uma atriz descendente de peruanos). Estabelecer o vínculo entre os enormes guerreiros de metal, entre os quais despontam Hot Rod e Hound, e um passado de ação milenar será a missão do líder Optimus Prime que, no espaço sideral, involuntariamente, cria brecha para a ameaça da Terra.

Além da existência de um cajado secular com potencial para livrar os humanos de um futuro mais do que incerto, O último cavaleiro traz em cena um trio infame de personagens: com o lorde Burton, uma professora de Oxford que atende por Vivian (Laura Haddock, um real talento) e o robô Cogman, com humor instável, estarão a postos para esquentar o duelo final da fita. Vale lembrar que o filme traz cenas com o temido Megatron, Sqweeks (um pequeno robô do bem, algo desastrado) e, claro, Bumblebee, o camaro amarelo que já teve o filme solo anunciado para breve.
 
Lataria lucrativa/ Bilheterias de cada filme

Transformers (2007)
US$ 709 milhões
Marca o início da saga dos robôs com independência nas atitudes. Megatron chega à Terra, para espalhar terror, quando busca de um cubo energético ameaçador. A trama se cruza com a do rapaz interpretado por Shia LaBeouf que tem um sonho comum: ganhar o primeiro carro. Com Megan Fox e Jon Voight.
 
A vingança dos derrotados (2009)
US$ 836 milhões
Sam (Shia LaBeouf) tenta se desvincular do amigo Bumblebee, o camaro amarelo que, protetor, adquire enorme dimensão e poderes, quando defende terráqueos. Uma aliança entre os autobots, os designados robôs bons, é firmada junto à agência Nest, entidade que se vê ameaçada pela opinião de um consultor de segurança nacional. Com Josh Duhamel e John Turturro.
 
O lado oculto da lua (2011)
US$ 1,1 bilhão
Detonar os decepticons que restam na Terra será a missão dos autobots, ao lado da humanidade. Um segredo será remexido por Optimus Prime, e nisso, surge a tese da existência de um fator adicional para a criação da corrida espacial desencadeada nos anos de 1960. Em paralelo, Sam (LaBeouf) sofre pelo assédio que cerca a nova namorada, papel de Rosie Huntington. Com Patrick Dempsey e Frances McDormand.

A era da extinção (2014)
US$ 1,1 bilhão
Uma verdadeira caçada a autobots e decepticons é empreendida na Terra. Cade, o inventor que mora numa fazenda, adquire um caminhão, sem saber que se trata de Optimus Prime. Reativando a existência do robô, Cade coloca tanto a si quanto a filha em risco, pela interferência de autoridades norte- americanas. Com Mark Wahlberg e Nicola Peltz.

O último cavaleiro (2017), por enquanto
US$ 518 milhões

 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.