Conheça os showrunners responsáveis por séries de sucesso

Os grandes hits da tevê não se resumem aos protagonistas. Premiações como o Emmy mostram que os showrunners são os responsáveis pela audiência das grandes séries

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/07/2017 07:00 / atualizado em 31/07/2017 08:55

Valerie Macon/AFP

Game Of Thrones, Grey’s Anatomy, The Big Bang Theory, The Flash, American Horror Story. Os sucessos mais populares do mundo das séries são mais do que icônicas mortes e enredos surpreendentes. Por trás dos grandes líderes de audiência, as produções têm um profissional chave: o showrunner. Se ao longo do ano, esses profissionais passam despercebidos, em época de premiação, eles têm chance de subir aos palcos e ganhar a atenção que merecem.

O termo showrunner não tem tradução literal para a língua portuguesa, nem existem profissionais com cargo parecido no Brasil. Porém, a palavra define as mentes por trás das séries e shows de televisão, que tomam conta de todo o processo de produção.

“Eles [os showrunners] são as pessoas que criam a série. Nas produções para a TV, diferentemente do cinema, eles são os criadores que desenvolvem a história, que escrevem. Começam como roteiristas, vendem a ideia para a emissora e passam a tomar todas as decisões sobre a série, desde as grandes mudanças até os mínimos detalhes.” A explicação de Priscila Harumi, autora do livro Guia das séries, expõe o quanto a profissão é importante para o sucesso de uma produção.

Showrunners na prática 
 
Valerie Macon / AFP

Alguns showrunners  ultrapassaram os limites dos bastidores e constroem suas carreiras consagradas em capas de revistas. É o caso da produtora e escritora Shonda Rhimes, à frente da série Grey’s anatomy e presente na produção de Scandal, How to get away with murder e The catch. Com uma produtora particular — a Shondaland —, Shonda descobriu uma verdadeira fórmula do sucesso, botando em prática enredos que misturam reviravoltas rápidas e grande rotatividade de personagens em cena.

O cantor e ator Fabio Gomes, 37 anos, é um dos vários fãs das produções de Shonda e lembra que o nome da showrunner em uma série já é um bom motivo para que ele dê uma chance à produção. “Nem sempre a gente sabe quem é o showrunner de uma série. A maioria das vezes, os personagens são maiores que o próprio criador. As exceções são pessoas como a Shonda Rhimes, Ryan Murphy e Eric Kripke. Sempre que a Shonda está envolvida em uma série, eu dou pelo menos uma chance a ela. Tive gratas surpresas como Scandal e How to get away with murder, mas nem sempre é sinônimo de qualidade como The catch, em que ela era também apenas produtora, e a série simplesmente não funcionou”, explica.
 
Frederick M. Brown/AFP
 
Outro nome de sucesso em Hollywood é o showrunner Ryan Murphy, que esteve à frente de um verdadeiro desfile de sucesso como American Horror Story, American Crime Story, Glee e Nip/Tuck. Já na vertente comédia das grandes produções, o líder dos grandes sucessos tem nome e sobrenome: Chuck Lorre. Ele comanda hits de popularidade como The Big Bang Theory, Mom, Two and a half men e Mike e Molly. Para se ter uma ideia do poder de Lorre, basta lembrar o episódio em que ele se envolveu numa briga com o superstar de Two and a half men, Charlie Sheen. A briga rendeu a demissão de Sheen, mas Lorre continua firme e forte na emissora norte-americana CBS.

Mas qual seria o segredo do sucesso desses verdadeiros gigantes dos bastidores? Harumi tem um palpite: “São pessoas que entendem muito como funciona o business da TV, e também eles são ótimos contadores de história no formato televisivo. O segredo do sucesso é esse envolvimento completo que eles têm com as produções”, explica.

Novos nomes

Se alguns nomes já levam vários hits de audiência no currículo, os novos showrunners estão prontos para entrar na briga do sucesso, e ninguém melhor do que David Benioff e D. B. Weiss para representar o poder da nova geração de showrunners de Hollywood. Os dois são os responsáveis pela adaptação televisiva de Game Of Thrones, e já trabalham em Confederate, a nova aposta do canal HBO para substituir o sucesso das terras de Westeros.
 
Valerie Macon/AFP

Rachel Bloom é outro nome que promete ser muito ouvido no futuro do universo das séries. No comando e protagonismo de The crazy ex-girlfriend, Rachel conquistou ano passado o Globo de Ouro de melhor atriz em uma série de comédia, derrotando ícones históricos de Hollywood e mostrando que tem poder na indústria do entretenimento norte-americana. No universo dos super-heróis, é a vez de Andrew Kreisberg. Ao liderar Supergirl, The Flash e Legends of Tomorrow, Kreisberg desponta força perante o contexto mais popular das séries de TV.

“É um trabalho muito difícil, porque você tem de tomar decisões sobre tudo. É difícil, mas deve ser muito recompensador, eu imagino”, conclui Harumi.

*Estagiários sob supervisão de Severino Francisco

“Um trabalho muito difícil, porque você tem de tomar decisões sobre tudo”
Priscila Harumi, autora do livro Guia das séries
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.