Apresentadora negra é ameaçada de morte após criticar presidente

Jornalista norte-americana recebeu cerca de 150 e-mails com intimidações e agora anda com segurança pessoal

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/08/2017 10:46

 Fox News/Reprodução

A jornalista Eboni K. Williams recebeu ofensas e ameaças de morte após criticar Donald Tump no programa que apresenta na FOX News do Estados Unidos. A comentarista repreendeu a atitude do presidente norte-americano de não condenar grupos de supremacistas brancos que protestaram ao longo do último final de semana na cidade de Charlottesville e, após o fim da atração, diz ter recebido mais de 150 mensagens preconceituosas em entrevista Variety. 

Os e-mails continham coisas como "Você vai encontrar com seu criador em breve" e "Não deveria ser autorizada a andar nas ruas de Nova York". "Eles descobriram que eu moro no Harlem e disseram que eu precisava 'me cuidar'", disse Eboni sobre o caso. Depois das ameaças, a apresentadora solicitou proteção à emissora e agora é escoltada nos caminhos de ida e volta para o trabalho. Ela também é escritora e lançará no próximo mês o livro Pretty powerful: Appearance, substance, and success. 

A passeata sobre a qual Eboni falou continha referências a organizações como Ku Klux Kan (KKK) e ao nazismo. Grupos de ativistas dos Direitos Humanos tentou impedir o protesto e três pessoas acabaram morrendo no conflito. Após as mortes, Donald Trump criticou tanto os supremacistas brancos quanto os ativistas. "Eu não acho que eles [os ativistas] tiveram culpa porque não jogaram um carro em cima das pessoas e mataram Heather Heyer. Esse foi um indivíduo que se identificou como um nacionalista branco e nazista", comentou a apresentadora. 
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.