Psirico chega à Bamboa com a 'Balada do Psi' e traz novidades à capital

Márcio Victor fala do sonho de filmar um DVD em Brasília, conta que gravará single com o rapper norte-americano Kanye West e que fãs podem participar do clipe de 'Kraw'

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 18/08/2017 17:31 / atualizado em 18/08/2017 18:09

Sercio Freitas/Divulgação

 
O grupo Psirico estará esta sexta-feira (18/8) na Bamboa. O vocalista, o cantor Márcio Victor, conta que, ao chegar no hotel, mais de 80 fãs aguardavam a banda. “Brasília tem um amor muito forte por nós”, afirma. O artista revelou que pretende gravar um DVD na capital. “É um sonho gravar aqui, e ainda vou realizá-lo.”

“Não consigo identificar se estou em Salvador ou em Brasília”, brinca Márcio, que elogia a energia do público brasiliense e conta que quando visita a cidade se lembra de encontros passados e de sucesso, como o Churrascão Vip. “Lembro dos encontros das antigas, e aqui há uma energia boa, um pessoal que gosta do carnaval”, observa o cantor, que compara o público com o da Bahia. “Um pessoal gente boa e eu me sinto em casa, porque além disso aqui tem acarajé bom!”

Kraw: o clipe vem aí!

A banda está em processo de gravação do clipe do single Kraw, e Márcio promete que a coreografia - que já foi divulgada e aparece no Instagram do artista dançada por pessoas de dentro e fora do Brasil - terá participação especial dos fãs. 

Nos shows, o grupo convida a plateia a participar de um desafio dançando a música no palco. “Tem muito dançarino em Brasília e a gente quer convidar todo mundo pra subir no palco da Bamboa, com possibilidade de levar esse pessoal a participar do clipe”, afirma o cantor. Em um canal no YouTube, o FitDance, o vídeo da coreografia de Kraw alcançou mais de 2 milhões de visualizações.

Confira a dança que promete agitar a Bamboa


Por trás dos sucessos

Márcio canta axé, samba, sertanejo, pagode e não pretende ficar preso em um tipo de música. Ele promete ter planos de continuar inovando nos hits. O artista, descoberto por Carlinhos Brown, gravou com Caetano Veloso e está produzindo trabalhos com Daniela Mercury. Além de transitar entre  diferentes estilos, conta que busca levar mensagens que vão além do entretenimento. “Hoje, as músicas que mais fazem sucesso são Mulher no poder e Kraw.” 

Mulher no poder pretende ser uma música de empoderamento feminino. “Tivemos fãs que começaram a relatar problemas em casa depois dessa música, e isso nos traz uma sensação de dever cumprido, porque nosso objetivo não é só fazer sucesso, é levar mensagens nas músicas e defender questões da sociedade”, conta. 

Márcio acrescenta que empoderamento feminino, o negro na sociedade e as oportunidades desse povo que ainda sofre muito são alguns assuntos que adora participar. Ele explica que estar engajado em causas como artista e influenciador é uma motivação pessoal dele. Márcio participa de ações como o projeto Setembro Amarelo, campanha de conscientização sobre o suicídio.

Dor de mãe fala sobre a morte de crianças de Realengo, vítimas de tiroteio dentro de uma escola da Zona Oeste do Rio de Janeiro. O clipe da música foi produzido com imagens de mães que perderam os filhos. “O Psirico pode ser um tipo de ‘Paracetamol’ que traz alegria às pessoas e me faz muito bem esse lado da música”, conta o cantor. 

Além do Brasil

Convidado a gravar com Kanye West, Márcio Victor conta que não compareceu porque tinha apresentação marcada no programa do Faustão. “Eu venho de uma família bem humilde e aprendi que não se perde um compromisso quando ele está marcado.”

Márcio conta que chamou atenção do rapper norte-americano quando tocava percussão em um encontro do grupo Procure Saber. “Ele do jeito dele, todo marrentão, estava lá no canto e não dava brecha para ninguém”, afirma Márcio sobre West. O baiano conta que a sugestão de tocar percussão para “ganhar respeito do estadunidense” foi de Caetano Veloso. 

Márcio Victor relembrou que, depois que começou a tocar percussão, o rapper se empolgou e disse que queria misturar os ritmos dos dois. “Ele é um deus do rap, mas quando me viu tocando ficou pulando, dizia ‘Meu Deus, é isso que eu preciso!’, e vibrava”.

“A gente mantém contato ainda e a música vai rolar com certeza, ele tá muito afim”, revela Márcio. O baiano disse que ainda não sabe se gravará nos Estados Unidos ou no Brasil. 

Os frutos de Lepo lepo

Márcio Victor conta que o single Lepo lepo mudou a carreira da banda e que ainda hoje o cantor é chamado nas ruas pelo nome da música. “Eu não me importo, acho isso massa. A gente não se prendeu a um único hit, depois lançamos Tem xenhenhém e antes de Lepo lepo tínhamos o sucesso Toda boa.

O artista afirma que a repercussão das músicas é um canal que Psirico criou com os fãs com muito cuidado e que requer atenção para ser mantido. “Pode me chamar de Lepo lepo, de Psirico ou de Márcio Victor. Para mim, é reconhecimento!”, conclui. “Agora o meu nome é Kraw”, brinca o artista com o nome do novo single.
 
Serviço
Balada do Psi
Na Bamboa (SMAS Tc 3), sexta-feira (18/8), às 22h. Ingressos a partir de R$ 45 (meia-entrada) e R$ 90 (inteira). Não recomendado para menores de 16 anos.
 

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.