Fernanda Lima responde a críticas sobre mudança para os EUA

Apresentadora disse a seguidor na internet que sonha com um país livre para os filhos

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 01/10/2017 15:29

Reprodução/Instagram

 
Nesta semana, começaram a circular notícias de que Fernanda Lima, Rodrigo Hilbert e os filhos estariam de mudança para a Califórnia, nos EUA. O provável novo endereço da família motivou uma onda de críticas nas redes sociais dos apresentadores.

Rodrigo Hilbert postou no Instagram, na última sexta-feira, 29 de setembro, uma foto de sua participação em um programa de TV. Como tem acontecido com as publicações mais recentes do casal, muitos internautas deixaram comentários sobre a possível decisão de deixar o Brasil. Fernanda Lima não confirmou oficialmente a mudança, porém defendeu os EUA ao rebater às críticas de um seguidor.
 
"Ué...para o país do Trump? Alguém avisa a Fernanda Lima que o país dos sonhos que ela defende é Venezuela", escreveu o perfil @gibelao que também usou a hashtag #vivaahipocrisia.

"O país dos sonhos que eu defendo é aquele em que meus filhos podem ir de metrô para escola, que podem andar sem medo pelas ruas, que podem se expressar livremente e que possam ter acesso a informação profunda e de qualidade para não falarem abobrinhas por aí. Um bom dia pra vc também", respondeu a apresentadora.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.
 
Sonia
Sonia - 07 de Outubro às 09:59
Sempre foi assim. Quando o bicho pega, os ricos se mandam e ficam no país os que o amam e os que não podem sair. Inclusive na ditadura, como disse Calado, muitos ricos militantes fugiram antes de serem pegos pelos militares. Ficaram os camponeses que foram presos, mortos e esquecidos e os poucos que realmente acreditavam no que falavam. Muitos que foram embora e se diziam de esquerda jamais foram perseguidos. Foram por medo e porque quiseram. Depois voltaram se vendo como heróis. Heróis são os moradores da rocinha que educam seus filhos a acreditarem nos outros. A professora que morreu salvando as crianças, Julião o advogado dos camponeses que foi torturado, exilado e esquecido.
 
Flávia
Flávia - 05 de Outubro às 09:05
A parte do andar livre pelas ruas é delicado, o povo esquece que E.U.A além do Trump tem um atentado atras do outro ..........e lá ainda é pior que o RJ, lá mata aos monte!