Professor e escritor, Wélcio de Toledo lança nova obra no Beirute

Em Rosa como o bico do meu peito ele reúne seis contos que tem como centro a mulher

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 26/10/2017 07:30

Arquivo Pessoal

Professor e escritor, Wélcio de Toledo apresenta sua nova aposta no mundo literário. O conjunto de contos Rosa como o bico do meu peito será lançado hoje, no Bar Beirute (109 Sul), às 19h.

“São seis contos que têm como centro a mulher. É a mulher em suas mais diversas situações. O homem fica mais no canto, eu, como homem, gosto desse segundo plano”, explica Toledo sobre o ponto que interliga todos os contos. Com os títulos Não é só pelos vinte centavos, Ela, Pedágio, Medo de avião, Verão e Estefânia, os seis textos pretendem abordar o cotidiano de diferentes tipos de mulheres, como aponta o autor: “São situações atuais, com um olhar político também. Tem um, por exemplo, que aborda as manifestações de 2013 e a relação de um black block e uma travesti”.

A mulher e o desafio

Mas por que a temática feminina? “Eu acho que tenho um olhar político muito consolidado sobre o feminismo, a presença feminina é muito forte na minha vida, moro com uma filha e esposa, eu sinto que tenha sido uma coisa natural, sabe? Do meu olhar e da minha estética”, responde Toledo.

E o escritor ainda acrescenta outro detalhe: “O maior desafio desse trabalho e de qualquer outro trabalho é fugir do clichê, e até por isso a abordagem da visão feminina se encaixa, foi uma forma de fugir do clichê”.

Em um mercado dominado por best sellers de youtubers e astros teens, apostar na poesia pode ser algo arriscado, mas não o suficiente para impedir Toledo. “As grandes editoras estão quebrando e eu acho isso ótimo. Torço muito pelas livrarias de esquina e meu público é aquele que gosta de literatura de qualidade”, defende o escritor.

Sobre a poesia, Toledo sugere que o gênero é hegemônico em seu trabalho, e que está disposto a trabalhar com diferentes vertentes literárias o mais rápido possível. “Eu gosto de poesia, naturalmente, mas não significa que estou preso a ela, inclusive já trabalho em outros projetos, e um deles é um romance”, indica.

Ao ser questionado sobre porque o leitor deveria escolher a leitura de sua obra, Toledo é incisivo: “Porque é bom. É um livro levado a sério, com qualidade. Eu diria para as pessoas comprarem porque são boas histórias, que não querem subjugar o leitor”.

Além dos contos, o livro conta com outro detalhe interessante: a capa é de autoria de Ana Flávia Silvestre, artista plástica filha de Toledo. E no lançamento do livro no Bar Beiture, o público ainda poderá acompanhar uma exposição de outras obras de Ana Flávia.

*Estagiário sob supervisão de Severino Francisco



Rosa como o bico do meu peito
Editora Penalux, 113 páginas, R$ 35. Sessão de autógrafos, hoje, no Bar Beirute, às 19h. Entrada franca. Verifique classificação indicativa.



Trechos

"A polícia acaba de reprimir mais um ato violento dos black-blocs nas manifestações do Centro do Rio. Era pra ser um ato pacífico, porém, vândalos misturados aos manifestantes depredaram vários bancos e estabelecimentos comerciais, além de atearem fogo em lixeiras e atirarem pedras nos policiais, que reagiram com energia".

Reagiu com energia? Que linda maneira de dizer que a polícia desceu a borracha nos meninos que estavam lutando por seus direitos.

Fica quieta, Brigite. Você não sabe o que está falando. Esses moleques são perigosos e só querem destruir tudo que nós conseguimos conquistar com o suor do nosso trabalho.
 
 
 
 
 



Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.