Time elege 'pessoa do ano' as mulheres que denunciaram abuso em Hollywood

Pela primeira vez, a revista escolheu um grupo em vez de uma pessoa

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 06/12/2017 16:40 / atualizado em 06/12/2017 16:40

Reprodução/Internet


A tradicional publicação da revista norte-americana Time para a pessoa do ano ganhou uma novidade neste ano: em 2018, as verdadeiras pessoas do ano foram àquelas que “quebraram o silêncio”. A revista decidiu condecorar as várias mulheres que foram protagonistas na luta contra a misoginia na indústria do entretenimento e apostaram suas carreiras para denunciar criminosos que seguiam impunes há décadas.

A revista nomeou as mulheres que se posicionaram contra a cultura do assédio em Hollywood como as “quebradoras de silêncio”. Entre elas estão Tarana Burke (que começou a campanha #MeToo ainda em 2006), as atrizes Alyssa Milano e Ashley Judd (uma das primeiras a denunciarem Harvey Weinstein) e a cantora Taylor Swift (que processou um radialista após ser assediada). Outros nomes também estamparam a capa da revista como Susan Fowler, Adama Iwu, Isabel Pascual e Rose McGowan. Todas essas mulheres implementaram ações de combate ao assédio de alguma forma ao longo do ano.

Edward Felsenthal, editor-chefe da revista, contou ao programa Today show as razões que corroboraram esta edição da publicação. “A ação das mulheres na nossa capa, junto com centenas de outras mulheres, e muito homens também, lançaram em alta velocidade uma das maiores mudanças culturais desde 1960. A ideia de que pessoas inspiradoras podem mudar a forma do mundo não poderia ser mais importante nos dias de hoje”, afirmou.

Após as “quebradoras de silêncio”, a revista Time elegeu Donald Trump como a segunda pessoa de mais importância no ano pela sua vitória na corrida eleitoral norte-americana.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.