William Waack deixa a Rede Globo após repercussão de comentário racista

Em nota, a emissora e o jornalista afirmam ter decidido que "o melhor caminho a seguir é o encerramento consensual do contrato de prestação de serviços que mantinham"

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 22/12/2017 12:15 / atualizado em 22/12/2017 15:30

Reprodução de internet
 
Afastado desde novembro do comando do Jornal da Globo, após protagonizar um caso de racismo, William Waack deixou oficialmente a emissora carioca. A TV Globo anunciou, na manhã desta sexta-feira (22/12), a recisão de contrato do jornalista. Os comentários racistas feitos pelo âncora foram feitos em 8 de novembro de 2016, e o vídeo foi divulgado na internet um ano depois.

Em comunicado oficial (leia a íntegra ao fim desta matéria), a empresa afirma que "A TV Globo e o jornalista decidiram que o melhor caminho a seguir é o encerramento consensual do contrato de prestação de serviços que mantinham".
 
Na mesma nota, Waack pede desculpas "a quem se sentiu ofendido" e nega que tenha sido racista. "William Waack reitera que nem ali nem em nenhum outro momento de sua vida teve o objetivo de protagonizar ofensas raciais. Repudia de forma absoluta o racismo, nunca compactuou com esse sentimento abjeto e sempre lutou por uma sociedade inclusiva e que respeite as diferenças", afirma o texto, assinado pelo próprio Waack e pelo diretor de jornalismo da TV Globo, Ali Kame.

 
Comentário em frente à Casa Branca 


vídeo foi divulgado pelo perfil do jornalista e escritor Jorge Tadeu em 8 de novembro deste ano. Nas imagens, William Waack aparece no intervalo de um noticiário, em frente à Casa Branca, em Washington (EUA). Ao lado de um comentarista, ele participava da cobertura sobre a vitória de Donald Trump nas eleições presidenciais norte-americanas. Uma pessoa aciona a buzina de um carro, do lado de fora do local onde os dois estavam e, sem saber que era gravado, Waack comentou: "Tá buzinando por quê, seu merda do cacete? Não vou nem falar, porque eu sei quem é... é preto. É coisa de preto", disse.

Repercussão nas redes sociais

Nas redes sociais, assim como no dia da divulgação do vídeo, o nome do William Waack foi um dos assuntos mais comentados. No Twitter, o nome dele estava nos Trending topics. Vários memes também foram publicados por pessoas no microblog, "comemorando" a decisão da emissora carioca. Veja:










Leia o comunicado na íntegra:

Em relação ao vídeo que circulou na internet a partir do dia 8 de novembro de 2017, William Waack reitera que nem ali nem em nenhum outro momento de sua vida teve o objetivo de protagonizar ofensas raciais. Repudia de forma absoluta o racismo, nunca compactuou com esse sentimento abjeto e sempre lutou por uma sociedade inclusiva e que respeite as diferenças. Pede desculpas a quem se sentiu ofendido, pois todos merecem o seu respeito. A TV GLOBO e o jornalista decidiram que o melhor caminho a seguir é o encerramento consensual do contrato de prestação de serviços que mantinham. A TV GLOBO reafirma seu repúdio ao racismo em todas as suas formas e manifestações. E reitera a excelência profissional de Waack e a imensa contribuição dele ao jornalismo da TV GLOBO e ao brasileiro. E a ele agradece os anos de colaboração"

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.