Publicidade

Estado de Minas

Janeiro chega com importantes estreias nacionais na televisão

Séries nacionais, em estilo documental ou de ficção, chegam às telinhas em janeiro. Que tal conferir as histórias com toque tupiniquim?


postado em 06/01/2018 07:30 / atualizado em 05/01/2018 18:31

A série 'A vida que eu queria' mostra como uma mudança radical de vida pode ser positiva(foto: Canal OFF/Divulgação)
A série 'A vida que eu queria' mostra como uma mudança radical de vida pode ser positiva (foto: Canal OFF/Divulgação)


Qual série você está assistindo atualmente? Você provavelmente tem uma listinha de cabeça, certo? Não é para menos, as produções seriadas são um verdadeiro fenômeno mundial e mesmo que o contexto norte-americano ainda tenha grande presença nesta forma de programa, o mercado brasileiro está, aos poucos, conseguindo a própria identidade perante às séries.

“Eu não sei se existe uma concorrência muito grande perante às séries daqui e as de fora, além dos 'plays' (os serviços de streaming que produzem séries), o que existe para mim é uma influência de conteúdos que vem lá de fora para a maior produção aqui. A palavra certa para se falar do grande número de séries é movimento. Existe esse movimento de produções seriadas no mundo e a gente também entra nisso, mas com nossa própria identidade e personalidade, se aproximar muito do modelo de fora não me parece interessante, mas ter a nossa marca é válido”, explica Luciano Moura, diretor da nova série da Rede Globo, Treze dias longe do sol, que chega às telinhas nesta segunda-feira (8/1), às 22h.

O diretor conversou com o Correio sobre a produção seriada brasileira e contou um pouco das suas próprias experiências. “Acho que trabalhar em séries é usar o trabalho artesanal do cinema para a tevê de uma forma um pouco mais rápida, mas, em geral, as barreiras que dividem os dois (a televisão e o cinema) estão diminuindo, tenho equipes que já fizeram longas e agora estão na tevê. Um detalhe é que em séries você tem de estar sempre atento com ganchos na história, se preocupar com intervalo comercial, mas também existe mais chance de desenvolver personagens, ir mais fundo nas histórias”, defende Moura.

O balanço final do diretor é de um futuro promissor: “É um conteúdo diferente das novelas e dos filmes, acho que as séries estão chegando para ficar”. E as emissoras de tevê estão seguindo o caminho proposto pelo diretor: janeiro é a época de novas séries ficcionais e documentais chegarem às telinhas, confira algumas delas:

Treze dias longe do sol – nesta segunda-feira (8/1), às 22h, na Globo

Selton Mello é a atração principal da série 'Treze dias longe do sol'(foto: Globo/Ramón Vasconcelos)
Selton Mello é a atração principal da série 'Treze dias longe do sol' (foto: Globo/Ramón Vasconcelos)


A história de Saulo (Selton Mello), um engenheiro que toma uma série de atitudes erradas na construção de um prédio em busca de maior arrecadação, promete prender a atenção do público. Após ficar preso nos escombros do edifício desabado, que o próprio Saulo projetou, o protagonista tem de lidar com uma verdadeira corrida no tempo para salvar sua vida e de outros que também estão presos no local.

Luciano Moura aposta que o projeto da O2 produções conseguirá chamar a atenção do público desde o início. “É uma série muito viciante. O telespectador vai querer ver o próximo episódio, a história tem bons ganchos. A gente consegue misturar o drama com cenas de ações, você começa a andar por várias tramas, fora isso tem a discussão contemporânea sobre falcatruas e mau-caratismo em busca de objetivos financeiros”, aponta. A série terá 10 episódios. Leia aqui a crítica da temporada completa da produção, que já está disponível na Globo Play.

A vida que eu queria – 24 de janeiro, às 21h, no OFF


A série 'A vida que eu queria' mostra como uma mudança radical de vida pode ser positiva(foto: Canal OFF/Divulgação)
A série 'A vida que eu queria' mostra como uma mudança radical de vida pode ser positiva (foto: Canal OFF/Divulgação)


Em estilo documental, a série apresenta a mudança de vida de Bruno Pesca e Marcelo Trekinho. O primeiro era analista de mercado financeiro, mas há seis anos resolveu largar tudo para ir curtir com o amigo uma vida diferente, baseada no surf.

A série se apresenta como uma forma de reflexão e autoconhecimento. A série terá 14 episódios com muitas aventuras dos dois amigos de infância visitando mais de 20 países em busca de boas ondas e uma existência mais leve.


Passionais – domingo (7/1), às 22h50, no Lifetime

Com episódios independentes, 'Passionais' apresenta os altos e baixos do amor(foto: Canal Lifetime/Divulgação)
Com episódios independentes, 'Passionais' apresenta os altos e baixos do amor (foto: Canal Lifetime/Divulgação)


Com Luís Miranda, Laís Marques, Eduardo Chagas e Betty Faria, a série ficcional tem como base a história de grandes amores, que acabam se tornando em tragédias. Em um estilo antológico (com episódios independentes), a cada capítulo acompanha a saga de um romance com conclusões que se transformam em ciúmes, ódio e crime. No gênero, a série responde como um suspense com toques de humor negro.

O que liga as histórias (divididas em 13 episódios, sendo que a cada domingo dois episódios vão ao ar) é o bar de Martin (Miranda), Marina (Marques) e Joel (Chagas), que serve de ponto de partida para o encontro de vários casais e suas paixões mal sucedidas. Segundo o diretor Henrique Goldman, por meio de nota, a série explora os limites humanos: “O mundo de Passionais é metafórico e alegórico, sobre o amor louco, com personagens vivendo de forma extrema à beira do abismo”. 
 
Já segundo Beto Gauss, um dos produtores da séries, o público deverá dá uma chance a série, pois: "Trabalhamos com atores que voltam ao longo dos episódios da série contado histórias completamente diferentes, em cenários completamente distintos". 

Destino Salvador – neste domingo (7/1), às 22h, HBO

A série 'Destino Salvador' vai investigar as singularidades de estrangeiros em terras brasileiras(foto: Marcus Carvalho/Divulgação)
A série 'Destino Salvador' vai investigar as singularidades de estrangeiros em terras brasileiras (foto: Marcus Carvalho/Divulgação)
 


A produção seriada em formato documental tem a proposta de apresentar ao público a visão de seis estrangeiros – em seis episódios – sobre o Brasil é o que é ser brasileiro. O público poderá conhecer a vida Kotryna (Lituânia), Noa (Moçambique), Manoel (Portugal), Pauline (França), Carlos (Mexico) e Gerard (Alemanha), moradores de Salvador.

Cada um dos personagens apresentam singularidades que fazem suas vidas uma verdadeira série de tevê compondo a linha cultural de Salvador. A direção da atração é de Fábio Mendonça e o público poderá ver como locação a Ponta do Humaitá, a Praia do Rio Vermelho e as tradicionais ruas e vias da capital baiana.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade