Publicidade

Estado de Minas

Cantora Deborah Vasconcellos faz show no Espaço Cultural do Choro

Recentemente, ela participou de duas etapas da sexta temporada do The Voice Brasil


postado em 29/01/2018 07:00

Deborah participou da edição mais recente do The Voice(foto: Alberto Ruy/Divulgação. )
Deborah participou da edição mais recente do The Voice (foto: Alberto Ruy/Divulgação. )


Desde que deixou Brasília há quatro anos e radicou-se no Rio de Janeiro, que Deborah Vasconcellos tem experimentado evolução na carreira. Aqui, havia gravado o CD Casa arrumada que, de alguma forma, foi utilizado como cartão de apresentação na cena musical carioca, onde, atualmente, transita com familiaridade.

A cantora está de volta à cidade para fazer duas apresentações, hoje e amanhã, às 21h, no Espaço Cultural do Choro. No show, pelo projeto Clube do Choro Convida, com direção do violonista e marido Rafael dos Anjos, e acompanhamento de Pedro Vasconcellos (bandolim e cavaquinho) e Thiago Viegas (percussão), ela passeia por repertório bem variado.

“Num clima intimista, vou interpretar canções do meu disco de estreia, compostas por Dinho Braga, Vinicius de Oliveira, Wilson Bebel e Jorge Aragão, entre outros. No repertório estão também músicas registradas no EP que vou lançar nesse retorno ao Clube do Choro. Vou fazer, ainda, uma homenagem a Arlindo Cruz, meu padrinho no samba e grande ídolo, com Saudade louca, que ele fez com Acyr Marques e Franco”, anuncia.

Recentemente, Deborah participou de duas etapas da sexta temporada do The Voice Brasil. Mesmo sem ter sido uma das finalistas do programa teve atuação destacada, ao soltar a voz em O tímido e a manequim (Paulinho da Viola), É luxo só (Ary Barroso) e Aquele um (Djavan) – clássicos que foram incluídas no roteiro do show do Clube do Choro.

“Ter participado do The Voice foi uma experiência maravilhosa, que me deu grande visibilidade; e acredito que igualmente às outras cantoras que representaram Brasília, Dhi Ribeiro, Nanãn Matos e Babi Ceresa. Eu, que já vinha trabalhando bem no Rio, depois do programa, vi as portas se abrirem ainda mais” ressalta.

Uma das consequências foi a contratação da cantora pela U2B Produções, que vem investindo no trabalho dela, inclusive na gravação do EP, que, além do samba de Arlindo Cruz reúne outras cinco composições, com a assinatura de Luis Cláudio Picolé, Leandro Matos, Prateado e Flavinho Bento, entre outros. “O Diogo Nogueira gravou comigo Pede pra sair, que ele compôs com Fred Camacho e Leandro Fab”, conta.

Desde a infância  Deborah convive com a música. “Sou filha de Paulo Carrusca, que toca banjo e cavaquinho, e da professora e cantora Beth Vasconcellos. Entre 2000 e 2007 integrei o grupo Arte Mulher. Iniciei a carreira solo com um show, em 2008, no Clube do Choro; e ,quando deixei Brasília para morar no Rio, havia acumulado alguma experiência”, observa. “Meu projeto mais importante para este ano é o lançamento do segundo álbum, que tem como base as músicas do EP”, acrescenta.

Deborah Vasconcellos
Show da cantora, acompanhada por Rafael dos Anjos (violão e direção musical), Pedro Vasconcellos (bandolim e cavaquinho) e Thiago Viegas (percussão), hoje e amanhã, às 21h, pelo projeto Clube do Choro Convida. No Espaço Cultural do Choro (Eixo Monumental, ao lado do Centro de Convenções Ulysses Guimarães). Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia para estudantes). Não recomendado para menores de 14 anos. Informações: 3224-0599.

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade