Há 20 anos, Brasil finalizou o acordo que lançou o Plano Real

Em novembro de 1993, o Brasil finalizava o acordo que o tirou da condição de pária internacional e permitiria o lançamento do Plano Real

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS
Preencha todos os campos.

postado em 31/10/2013 08:50 / atualizado em 31/10/2013 09:13

Paulo Silva Pinto , Sílvio Ribas

Jefferson Pinheiro/CB/D.A Press


Há duas décadas, o Brasil celebrava o acordo que tirou o país da condição de pária no mercado financeiro internacional, graças à renegociação da dívida externa. O último capítulo dessa história encerrou-se, porém, apenas no mês passado. Sem alarde, venceram em 15 de setembro os Brazilian Investment Bonds (BIB), emitidos em 1988, remanescentes da dívida externa brasileira antes de sua conversão em outros títulos, por meio do chamado Plano Brady.

O advogado norte-americano Whitney Debevoise, que ainda trabalha no escritório de Washington contratado no governo Sarney para representar o Brasil nas negociações, afirmou que a emissão desses papéis permitiu o desenho de todo o Plano Brady, que foi assinado por vários países latino-americanos endividados. “O Brasil merece reconhecimento por isso”, disse em entrevista ao Correio.

Leia mais notícias em Economia

Embora a emissão fosse de só US$ 1 bilhão dos US$ 86 bilhões de dívida, houve grande resistência do governo dos Estados Unidos à proposta do então ministro da Fazenda brasileiro, Luís Carlos Bresser Pereira, e do presidente do Banco Central (BC), Fernão Bracher. “O James Baker (secretário do Tesouro no governo Reagan) dizia que a emissão não decolaria. Mas decolou”, contou Debevoise.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.