Economia
  • (2) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Venda liberada de carros em Cuba começa com preços astronômicos Um carro familiar Peugeot 4008 novo foi colocado à venda por U$239.250 na concessionária estatal SASA em Havana, enquanto que o fabricante francês oferece o mesmo veículo em seus catálogos por U$46.000

France Presse

Publicação: 03/01/2014 16:30 Atualização: 03/01/2014 16:32

A venda liberada de automóveis começou nesta sexta-feira em Cuba depois que o presidente Raúl Castro acabou com meio século de proibição, e os preços astronômicos causaram surpresa e decepção na população, comprovaram os jornalista da AFP.

Um carro familiar Peugeot 4008 novo foi colocado à venda por 239.250 dólares na concessionária estatal SASA em Havana, enquanto que o fabricante francês oferece o mesmo veículo em seus catálogos por 46.000 dólares.

Os carros usados também foram colocados à venda a preços astronômicos na estatal Corporación Cimex: um Hyundai Sonata de 2010 a 60.000 dólares e um Volkswagen Passat de 2010 a 67.500 dólares. "Eu pensava em comprar um carro, mas não dá para mim. Só tenho uns 20.000 dólares", lamentou-se Dorian López, um comprador frustrado.

Cubanos observam os carros usados para vendas em Havana (Adalberto Roque/ AFP Photo)
Cubanos observam os carros usados para vendas em Havana


Cuba autorizou em 19 de dezembro passado a livre importação de veículos a preços de mercado, proibida durante meio século, em uma das medidas mais esperadas das reformas econômicas do presidente Raúl Castro.

Em consequência, foi liberada a venda a varejo de motos, carros, furgões de carga, caminhonetes e micro-ônibus, novos e de segunda mão, para cubanos e estrangeiros residentes na ilha comunista, assim como para entidades estrangeiras e diplomáticas.

Leia mais notícias em Economia

A medida, aprovada dois anos depois que Raúl Castro permitiu a compra e venda de carros usados, também autoriza a compra e venda de motores e carrocerias entre particulares e a venda de carrocerias resultantes da desmontagem de veículos.

As novas normas deixam sem efeito as carteiras de motorista que o ministério do Transporte entregava a alguns cubanos, principalmente músicos, médicos e outros profissionais, que cumpriam missões no exterior, para poder adquirir um carro.

O jornal admitiu que esse mecanismo "burocrático" gerou durante anos "inconformidade, insatisfação e, não em poucos casos, virou uma fonte de especulação e enriquecimento,", pois muitos cubanos vendiam as referidas carteiras, inclusive antes de comprar o veículo.

Segundo o jornal oficial Granma, com o resultado das vendas, "será criado um fundo especial para o desenvolvimento do transporte público", serviço que tem muitos problemas na ilha.

Esta matéria tem: (2) comentários

Autor: Paulo Costa
Mas não é o "paraíso democrático" que serve de modelo aos ilustres PeTralhas (Zé Dirceu, Genoíno, Lula, Dima...)? Garanto que a Cúpula irá comprar seus novos e modernos veículos. Tal como aqui, tal como no modelo, o povo que se "lasque"!!! | Denuncie |

Autor: carlos Catatau
Acho é pouco pra quem vive lambendo bota de lider comunista... | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.