Economia
  • (4) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Próximo presidente terá desafio de realizar reformas adiadas durante anos Por votos, governo deixou de fazer reformas que inibem o crescimento. Futuro chefe do Executivo terá de acertar contas com o atraso

Paulo Silva Pinto

Publicação: 05/01/2014 08:00 Atualização:


Zeina Latif acredita que alterações nos sistemas tributário e previdenciário terão de fazer parte da campanha de 2014 (Breno Fortes/CB/D.A Press - 2/9/10)
Zeina Latif acredita que alterações nos sistemas tributário e previdenciário terão de fazer parte da campanha de 2014


Todo ano eleitoral costuma ser associado a baixas expectativas quanto a realizações políticas. Há limite de data para o desembolso de verbas públicas, de modo a evitar que os gastos sejam usados, mesmo indiretamente, para turbinar os candidatos do governo. Além disso, com muitos detentores de mandatos no Executivo e no Legislativo buscando a reeleição, sobra menos tempo para votar projetos de lei que podem tornar o país mais competitivo e para cuidar de obras de infraestrutura e de programas que realmente interessam à população.

Quando 2015 chegar, porém, o próximo presidente da República não terá escapatória. Com o Brasil atolado em um quadro desanimador, de inflação alta e baixo crescimento, as reformas constitucionais que foram adiadas por mais de uma década, como a tributária, a trabalhista e a previdenciária, deverão sair das promessas, apesar do elevado custo político que elas carregam.

Um dos motivos de o Brasil estar hoje envolto em uma nuvem de pessimismo e desconfiança decorre justamente do abandono das reformas — em muitos momentos, por populismo. Enquanto a economia mundial crescia a passos largos e as nações emergentes, entre elas, o Brasil, despontavam como nova fronteira para se ganhar dinheiro fácil, boa parte dos problemas estruturais da economia brasileira acabaram sendo relegados a segundo plano pelos investidores. Agora, porém, que o planeta tenta se recuperar de uma crise que já dura cinco anos, os defeitos do país se agigantaram, sobretudo pela fragilidade fiscal combinada a uma infraestrutura deficiente.

“Portanto, é importante que, desde já, os candidatos à Presidência da República explicitem o quanto estão comprometidos com as reformas de que o Brasil precisa. A entrada das mudanças estruturais na agenda política é necessária para garantir, ao menos, um efeito preventivo. País que não discute questões de longo prazo abre espaço para que se crie uma agenda ruim”, diz a economista-chefe da XP Investimentos, Zeina Latif. “Precisamos fazer uma transição muito rápida do Brasil do atraso para um país moderno, com bases sólidas para crescer a um ritmo consistente sem pressionar a inflação”, acrescenta.

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.
Tags:

Esta matéria tem: (4) comentários

Autor: PAULO DINIZ
A solução está no BIPARTIDARISMO. A história relata que no Brasil pré-64, a situação era a mesma: um número enorme de partidos poíticos, proporcionalmente os casos de corrupção. | Denuncie |

Autor: Leonardo Victor
Em breve seremos a nova e quebrada Grécia !! | Denuncie |

Autor: augusto lima
Não sei como recuperar o Brasil. A violência, é muito fruto desse populismo. Não se governa uma sociedade, defendendo o errado, dividindo classes, taxando essas, como inimigas de outras, etc. difícil recuperar. Perderemos ai, muitos anos pela frente. Saúde e Educação, deixados de lado, não dar certo. | Denuncie |

Autor: Alvaro Brito
Essa senhora deveria voltar para escola, a reforma da previdência já foi feita no governo lula! Reformar de novo é para dar lucro, mas, desde quando previdência e empresa? Hoje a previdência tem caixa sobrando, por isso estão tentando colocar ela como superávit.......vai entender!!!!! | Denuncie |

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas