publicidade

Guido Mantega nega que Brics estejam em "crise de meia idade"

Apesar de não concordar com a crise, o ministro reconheceu que é preciso fazer mudanças

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 23/01/2014 14:44 / atualizado em 23/01/2014 15:24

Diário de Pernambuco

Antonio Cunha/Esp. CB/D.A Press
 

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, reclamou na manhã desta quinta-feira (23/1), num debate no Fórum Econômico Mundial, em Davos, da falta de crédito para estimular a economia e responsabilizou a crise mundial pela desaceleração no Brasil e em outros paises emergentes. Sobre a percepção em Davos de que os Brics halfgrupo que reúne Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul – estão em declínio ou em “crise de meia idade”, Mantega reagiu:
"Não acredito que há uma crise da meia idade dos Brics. O que há é uma crise mundial que afetou os Brics", afirmou.

Leia mais notícias em Economia

Mantega reconheceu que "é preciso que os Brics façam mudanças importantes no modelo do crescimento". E assegurou que o Brasil está fazendo isso, ao estimular o investimento com um programa de investimentos da ordem de US$ 250 bilhões, excluindo o que será investido em petróleo e gás.

Lembrando que o país avançou na inclusão social, ele queixou-se do crédito escasso:

"O Brasil fez uma grande inclusão social, expandiu a classe média. Temos o quarto maior mercado de carros. Mas para ativar este mercado está faltando crédito, que está escasso. É por isso que o governo está estimulando o investimento no Brasil", disse.

Ele previu melhores tempos, por exemplo, com retomada do crescimento do comércio mundial em torno de 4% a 5% em 2014, por conta da recuperação nos países ricos.

publicidade

publicidade