publicidade

Com derretimento da lira, BC turco radicaliza e eleva juros para 12% ao ano

Autoridade monetária indiana também aumenta custo do dinheiro, e governo brasileiro indica corte maior no Orçamento para economizar até 2% do PIB

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 29/01/2014 08:08

Deco Bancillon , Rosana Hessel

Andrew Burton/AFP


Alvos de desconfiança dos investidores, os mercados emergentes foram obrigados nessa terça-feira (28/1) a emitir sinais concretos de determinação a corrigir os problemas que estão fazendo as suas moedas derreterem. A medida mais drástica foi anunciada pelo Banco Central da Turquia, que aumentou a taxa básica de juros de 7,75% para 12% ao ano, surpreendo os especialistas, que apostavam em uma alta para, no máximo, 10%. O ajuste, de 4,25 pontos percentuais, superou todo o movimento de alta conduzido pelo BC brasileiro desde abril do ano passado, de 3,25 pontos.

Em comunicado após a decisão, o BC turco informou que manterá a política monetária apertada, até que a inflação, que ronda os 8% , ceda para níveis mais confortáveis. O mercado temia que a autoridade monetária fosse mais comedida, diante da resistência do primeiro-ministro do país, Tayyip Erdogan, de arrochar a economia, que dá sinais de fragilidade. Tão logo o aumento radical dos juros foi anunciado, a cotação do dólar caiu de 2,25 para 2,18 liras. Desde maio do ano passado, a divisa turca recuou 21,5%.

Leia mais notícias em Economia

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade