publicidade

Exportações de veículos apresentam queda em janeiro, aponta Anfavea

Em quantidade, as exportações registraram queda de 40,5 %, com 25.779 unidades comercializadas no mercado externo

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 06/02/2014 17:22

Agência Brasil

As exportações de veículos apresentaram queda de 26,0% em valores no mês de janeiro, quando o faturamento ficou em US$ 886,2 milhões, enquanto em dezembro foi US$1,196 bilhão. Na comparação com janeiro do ano passado, os valores caíram 13,3%. Em quantidade, as exportações registraram queda de 40,5 %, com 25.779 unidades comercializadas no mercado externo. Em janeiro de 2013, foram 36.233 unidades, de acordo com dados divulgados nesta quinta-feira (6/2) pela Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Segundo o presidente da entidade, Luiz Moan Yabiku Junior, o resultado é efeito da queda das exportações para a Argentina, que limitou a concessão das licenças para exportações válidas para o primeiro trimestre deste ano. “Quase três quartos das nossas exportações são para a Argentina. Nesta semana ocorreu uma restrição por parte do governo argentino e ontem conversamos com o governo brasileiro que está acelerando as negociações com a Argentina para minimizar os efeitos dessa medida”. Moan ressaltou que não há com aquele país um acordo de comércio e sim de integração produtiva. “Esse fator facilitará a conversa entre os dois governos.”

De acordo com o balanço mensal da Anfavea, a venda de veículos no mercado interno caiu 11,7 % em janeiro, com a comercialização de 312.618 unidades contra 353.843 em dezembro. A produção de veículos teve aumento de 2,9 % em janeiro, ao chegar a 237.491 unidades. Em dezembro, o número ficou em 230.892. Na comparação com janeiro do ano passado, no entanto, houve diminuição de 18,7%.

Leia mais notícias em Economia

“O licenciamento em janeiro foi o melhor de toda a história do setor e só não foi melhor por conta do PSI [Programa de Sustentação do Investimento] que foi colocado em operação em 27 de janeiro e prejudicou o comércio de caminhões e ônibus. Se tivesse havido mais tempo, o comércio teria tido desempenho melhor. No caso da produção, houve queda porque as montadoras concederam férias coletivas até 20 de janeiro, o que gerou impactos na produção”.

Moan explicou que a Anfavea prevê para 2014 um aumento de 1,4% na produção, 1,1% nas vendas e 1,6% nas exportações, chegando aos US$ 17 bilhões.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade