publicidade

Tombini reforça trabalho do BC para levar inflação ao centro da meta

Tombini participou de audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 18/03/2014 14:34

Agência Brasil

ERIC PIERMONT/  AFP PHOTO

O presidente do Banco Central (BC), Alexandre Tombini, disse nesta terça-feira (18/3) "que não há nada que condene o Brasil a ter a inflação acima do centro da meta". Tombini participou de audiência pública na Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) do Senado.

Segundo Tombini, o país esteve bastante próximo de chegar ao centro da meta em meados de 2012. Ele citou ainda que inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor (IPC), calculada pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe), fechou o ano passado em 3,88% e no acumulado de 12 meses até fevereiro deste ano ficou em 3,99%. Por isso, para Tombini, a inflação para o consumidor pode ficar no centro da meta. Mas Tombini lembrou que o indicador usado no sistema de metas de inflação é o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

Leia mais notícias em Economia


De acordo com o Instituto de Geografia e Estatística (IBGE),o IPCA chegou a 5,68% em 12 meses, encerrados em fevereiro. No ano passado, o IPCA ficou acima do centro da meta, em 5,9%. A meta de inflação é 4,5%, com margem de 2 pontos percentuais para mais ou para menos. Cabe ao BC perseguir essa meta de inflação, definida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN).

publicidade

publicidade