publicidade

Especulação sobre pesquisa eleitoral provoca alta da bolsa

Boato não confirmado sobre queda de Dilma em pesquisa causa alvoroço no mercado

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 21/03/2014 06:04


Amr Abdallah Dalsh/Reuters - 10/3/14

Rumores de que a presidente Dilma Rousseff teria caído na preferência dos eleitores — o que acabou não sendo confirmado em pesquisa divulgada no início da noite, depois do fechamento do pregão — provocaram uma valorização expressiva das ações das empresas estatais e fizeram a Bolsa de valores de São Paulo (BM&FBovespa) fechar em alta, ontem, pela quarta sessão consecutiva. No fim do dia, o Ibovespa, indicador dos papéis mais negociados, registrou avanço de 1,53%, para 47.278 pontos, com forte giro financeiro, de R$ 7,42 bilhões. Os boatos também afetaram o mercado de câmbio.

Leia mais notícias de Economia

Uma eventual derrota de Dilma nas eleições presidenciais de outubro é bem vista pelo mercado, devido ao perfil intervencionista da atual presidente em diversos setores, como os de petróleo, energia elétrica e o bancário, todos com forte presença de companhias controladas pelo governo. “As estatais foram as empresas mais prejudicadas pelo governo nos últimos anos”, afirmou o analista Fábio Gonçalves, da Banrisul Corretora.

A pesquisa do Ibope, no entanto, continuou apontando que, se a eleição fosse hoje, Dilma seria reeleita em primeiro turno, com 43% dos votos válidos. Antes que a sondagem fosse divulgada, no entanto, as especulações sobre uma suposta perda de espaço da presidente para os adversários fizeram os papéis das estatais, que já haviam ajudado a levantar a bolsa na quarta-feira, aparecer novamente entre as maiores altas, com destaque para as ações ordinárias do Banco do Brasil (5,44%), da Petrobras (4,92%) e da Eletrobras (4,33%).

A matéria completa está disponível aqui, para assinantes. Para assinar, clique aqui.

publicidade

publicidade