publicidade

Gol usará biocombustível nos voos da Copa para diminuir impacto ambiental

Companhia importará 70 toneladas de querosene fabricado com óleo de cozinha e de milho da americana UOP

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 28/03/2014 12:28 / atualizado em 28/03/2014 13:38

Guilherme Araújo

Congonhas (SP) - A empresa aérea Gol anunciou nessa quinta-feira (27/3) à imprensa que utilizará biocombustíveis nas aeronaves durante a Copa do Mundo de 2014. A companhia importará 70 toneladas de querosene fabricado com óleo de cozinha e de milho da americana UOP. Cerca de 200 voos serão abastecidos com esse novo recurso - até 10 % do tanque será composto pelo produto sustentável e o restante será preenchido com combustível comum.


A Gol não revelou o valor do investimento. "Esse tipo de querosene é três vezes mais caro que o combustível normal", disse o gerente de Despacho Operacional, Marcelo Vieira. A importação do biocombustível, segundo a Gol, foi necessária porque os fabricantes no Brasil ainda não têm a certificação necessária para que o produto seja utilizado no mercado interno. "O pais já produz o combustível sustentável, mas tivemos que importar o produto porque somente lá fora tem a certificação", explicou Marcelo Vieira.

Leia mais notícias em Brasil

A proposta da companhia é realizar voos com menos emissão de CO2, diminuindo a poluição e o impacto ao meio ambiente. Os testes iniciaram nos voos durante a Rio + 20 e esse ano o recurso será usado nos voos destinados as cidades-sedes que receberão os jogos do mundial. Para os próximos anos, o objetivo é de que os tanques das aeronaves da companhia sejam compostos por 50% de biocombustivel e os outros 50% de querosene comum.


Cerca de 95% dos aviões da GOl são do modelo boeing 737 e, de acordo com a fabricante Boeing, a mistura não afetará a funcionalidade do tanque da aeronave.

publicidade

Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade