Economia
  • (0) Comentários
  • Votação:
  • Compartilhe:

Grupo de 67 mais ricos do mundo detém fortuna igual à metade mais pobre Segundo a Oxfam, o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial devem tentar reduzir esta desigualdade

France Presse

Publicação: 09/04/2014 16:06 Atualização:

Washington - Se as fortunas das 67 pessoas mais ricas do planeta forem reunidas, o total iria se equiparar à soma dos recursos da metade mais pobre da população mundial, afirmou nesta quarta-feira a ONG Oxfam, que chamou a atenção do FMI e do Banco Mundial. "As desigualdades extremas se agravaram", afirmou em um comunicado a organização que luta contra a pobreza.

Segundo a Oxfam, o Fundo Monetário Internacional e o Banco Mundial, que realizam esta semana uma assembleia-geral em Washington, devem abandonar a retórica e atuar para tentar reduzir essa desigualdade.

"O presidente do Banco Mundial, Jim Yong Kim, e a diretora-gerente do FMI, Christine Lagarde, falam muito do perigo que representa a explosão das desigualdades. Esta semana temos de ver ações concretas que apoiem essa retórica", afirmou Raymond Offenheiser, presidente da Oxfam America, citado em um comunicado.

Leia mais notícias em Economia

O FMI publicou recentemente dois relatórios que enfatizam as consequências nefastas das desigualdades na economia. Já o Banco Mundial estabeleceu como objetivo impulsionar as rendas de 40% dos mais pobres no mundo.

Mas, segundo a Oxfam, essas duas instituições devem agora mudar suas recomendações e políticas de empréstimos em relação a seus Estados membros, defendendo mais investimentos em saúde e educação.

Esta matéria tem: (0) comentários

Não existem comentários ainda

Comentar

Para comentar essa notícia entre com seu e-mail e senha

Caso você não tenha cadastro,
Clique aqui e faça seu cadastro gratuito.
Esqueci minha senha »
Termos de uso

Envie sua história e faça parte da rede de conteúdo dos Diários Associados.
Clique aqui e envie seu vídeo, foto, podcast ou crie seu blog. Manifeste seu mundo.

PUBLICIDADE



  • Últimas notícias
  • Mais acessadas