publicidade

TRT marca nova audiência de conciliação entre funcionários e Fundação Casa

Uma nova proposta será analisada pelos grevistas em assembleia marcada para as 10h desta terça-feira, no Brás, zona leste da capital

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

postado em 14/04/2014 18:35

Agência Brasil

Trabalhadores da Fundação Casa e representantes da entidade participaram nesta segunda-feira (14/4) de uma audiência de conciliação, na sede do Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região (TRT-2), na capital paulista, na tentativa de um acordo para por fim à greve iniciada na última quinta-feira (10/4). A reunião durou em torno de três horas e foi intermediada pelo desembargador Francisco Ferreira Jorge Neto.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Entidades de Assistência e Educação à Criança ao Adolescente e à Família do Estado de São Paulo (Sitraemfa) o desembargador solicitou que os trabalhadores voltem ao estado de greve, com a promessa de que a Fundação Casa não faça retaliações contra os grevistas, não desconte os dias parados e mantenha um canal de negociação no TRT-2.

A proposta será analisada pelos grevistas em assembleia marcada para as 10h desta terça-feira, no Brás, zona leste da capital. À tarde haverá nova audiência de conciliação, no TRT-2, para negociar as reivindicações dos trabalhadores. Eles querem definir um piso salarial, reajuste real de 53,63%, reposição de perdas, isonomia do Plano de Cargos e Salários e, principalmente, aumento da segurança nos locais de trabalho.

Leia mais notícias em Economia

Na última sexta-feira (11), o desembargador determinou que 70% do efetivo dos agentes socioeducativos da Fundação Casa continue trabalhando. Em caso de descumprimento, o TRT aplicará multa diária de R$ 100.000,00.

Após a reunião no TRT-2, os funcionários da Fundação Casa saíram em passeata pela Rua da Consolação, sentido centro. Segundo a Polícia Militar, cerca de 150 funcionários participaram da manifestação.
Comentários Os comentários não representam a opinião do jornal;
a responsabilidade é do autor da mensagem.

publicidade